30 de Outubro de 2010 / às 18:28 / 7 anos atrás

Serra diz em BH que não existe governo "terceirizado"

<p>O candidato do PSDB &agrave; Presid&ecirc;ncia, Jos&eacute; Serra, e o senador A&eacute;cio Neves participam de com&iacute;cio em Belo Horizonte, 30 de outubro de 2010. REUTERS/Emmanuel Pinheiro</p>

BELO HORIZONTE (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou que não existe governo “terceirizado”, após carreata em Belo Horizonte, em um claro recado à adversária Dilma Rousseff, que também fez campanha na capital mineira na véspera da eleição.

“Ninguém governa no lugar de ninguém. Não existe governo terceirizado”, disse o tucano, pouco depois de a petista ter declarado que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá uma grande importância em seu eventual governo.

Mesmo aparentando cansaço, o candidato tentou mostrar ânimo na carreata que o partido organizou na capital mineira. Serra foi acompanhado pelo ex-governador e senador eleito, Aécio Neves (PSDB), entre outras lideranças mineiras.

O partido conseguiu mobilizar, segundo organizadores, cerca de 3 mil pessoas que seguiram da Praça do Papa, no bairro Mangabeiras, até a Savassi, dois setores nobres da capital.

Apesar da calorosa acolhida dos militantes, havia um certo clima de resignação. “Não podemos desistir. Sabemos que é difícil, mas temos que acreditar que ainda é possível virar”, disse o funcionário público Antônio Resende, 34 anos.

Na entrevista que deu depois da carreata no Palácio das Mangabeiras, residência oficial, Serra falou em linha com declarações de Dilma, que fez campanha do outro lado da cidade, na Pampulha. A líder das pesquisas disse que, se eleita, fará um governo sem discriminação de partidos.

Serra afirmou que, caso vença a eleição no domingo, não vai governar com ódio ou vingança. E não deixou de alfinetar a adversária ao voltar a criticar o uso da máquina pública a favor de Dilma.

No fim da carreata, os tucanos exibiram um vídeo em praça pública do ex-petista e advogado Hélio Bicudo, intitulado “Manifesto em Defesa da Democracia”. No vídeo, ele critica “o uso da máquina em favor de um partido”, “compadrio e fisiologismo” e “autoritarismo hipócrita do presidente da República”. A mesma mensagem foi exibida em evento de campanha no domingo em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Um dos coordenadores da campanha tucana em Minas, Danilo de Castro, que é ex-secretário de governo de Aécio Neves, disse que a coligação liderada pelos tucanos sabe que a Dilma é grande favorita nas pesquisas, mas não descarta uma virada na última hora.

“Se a Dilma vencer, vai ser uma diferença muito pequena”, disse.

No primeiro turno, nenhum dos dois candidatos venceu na capital mineira, a liderança ficou com Marina Silva (PV). No Estado, Dilma obteve a maioria dos votos.

Por Aline de Almeida

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below