Criação de emprego nos EUA sobe e dá certo alívio a Obama

sexta-feira, 2 de novembro de 2012 11:53 BRST
 

WASHINGTON, 2 Nov (Reuters) - Os empregadores norte-americanos aumentaram as contratações em outubro e a taxa de desemprego subiu, com mais trabalhadores voltando a procurar emprego, um sinal esperançoso para a fraca economia do país, que trouxe alívio as chances de reeleição do presidente Barack Obama.

Foram criados 171 mil postos de trabalho no mês passado, afirmou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. O governo também afirmou que foram criados mais 84 mil vagas em agosto e setembro do que o originalmente estimado.

A taxa de desemprego aumentou em 0,1 ponto percentual, para 7,9 por cento, mas isso foi por causa de um crescimento de trabalhadores que voltaram a integrar a força de trabalho. Apenas pessoas que procuraram emprego recentemente podem ser contadas como desempregadas.

"São números positivos", afirmou o vice-presidente de vendas cambiais do Mizuho Corporate Bank em Nova York, Fabian Eliasson.

O dado de emprego foi o último relatório importante sobre a economia antes da eleição presidencial na terça-feira, que coloca Obama contra o republicano Mitt Romney.

Embora o aumento da taxa de desemprego fosse esperada, o aumento na criação de vagas supera até mesmo a previsão mais otimista colhida na pesquisa da Reuters.

O relatório fornece material para ambos os candidatos.

Até mesmo ganhos sustentáveis mensais de 171 mil postos de trabalho provavelmente diminuiriam apenas lentamente a taxa de desemprego do país. Mesmo com o fortalecimento relativo visto no relatório, uma recuperação total da recessão de 2007 a 2009 continua distante. A taxa de desemprego, que chegou ao pico de 10 por cento durante a recessão, continua cerca de 3 pontos percentuais acima do nível de pré-recessão.

Romney fez do fraco mercado de trabalho da nação, que tem atormentado Obama desde que ele assumiu a presidência em 2009, o centro de sua campanha.   Continuação...

 
Pessoas aguardam para encontrar empregadores em feira de empregos em Nova York, EUA. Os empregadores norte-americanos aumentaram as contratações em outubro e a taxa de desemprego subiu, com mais trabalhadores voltando a procurar emprego, um sinal esperançoso para a fraca economia do país. No cartaz, ao fundo, lê-se "Contratando agora". 24/10/2012 REUTERS/Mike Segar