7 de Novembro de 2012 / às 02:27 / 5 anos atrás

Câmara dos EUA deve permanecer sob controle republicano

Por Richard Cowan

WASHINGTON, 7 Nov (Reuters) - A mais impopular Câmara dos Deputados dos tempos modernos nos EUA foi mantida praticamente inalterada pelo eleitorado na terça-feira, sob firme controle republicano, segundo as projeções.

A política fortemente partidária praticada pelos republicanos nos últimos dois anos não parece ter prejudicado seriamente o partido. Quando os novos deputados tomarem posse, em janeiro, será praticamente a mesma Câmara que quase provocou paralisações do governo e uma histórica moratória da dívida, em 2011.

A agressiva divisão entre os 435 integrantes da Câmara - uma pedra no sapato do presidente Barack Obama - supostamente contribuiu para que a aprovação popular ao Congresso caísse ao seu menor nível já registrado, chegando em determinado momento a apenas 10 por cento.

Mas, se o eleitorado não gostou do tom geral do Congresso nos últimos dois anos, parece pelo menos estar satisfeito com o desempenho individual dos seus deputados.

Os votos ainda estão sendo apurados, mas parece que o republicano John Boehner poderá continuar como presidente da Câmara no ano que vem. As projeções indicam uma composição semelhante à atual, com 240 republicanos e 190 democratas (há 5 cadeiras vagas na atual legislatura).

Isso significaria pelo menos mais dois anos de governo dividido nos EUA, caso Obama conquiste a reeleição e os democratas mantenham o controle do Senado.

"O lado positivo é que os eleitores estão dizendo ao presidente Obama e ao presidente Boehner: ‘Voltem à mesa de barganha; concluam o acordo'", disse David Kendall, pesquisador-sênior da entidade centrista Terceira Via, em Washington.

Kendall se referia às intensas negociações mantidas por Obama e Boehner em meados de 2011 para tentar reduzir o déficit público em cerca de 4 trilhões de dólares em um período de dez anos. As negociações acabaram sendo abandonadas.

Depois disso, muitos líderes parlamentares disseram que só as eleições de 2012 poderiam resolver as divergências entre republicanos e democratas a respeito de impostos e gastos públicos.

Os resultados de terça-feira, porém, podem decepcionar quem esperava uma orientação clara do eleitorado.

Boehner e outros republicanos graduados já vinham alertando que farão de tudo para impedir Obama de elevar impostos para os ricos, como forma de reduzir déficits que oscilaram em torno de 1 trilhão de dólares durante cada um dos últimos quatro anos.

"Não achamos que pegar mais dinheiro das pessoas seja a resposta no momento", disse Eric Cantor, líder da maioria republicana na Câmara, em entrevista transmitida na segunda-feira pelo canal de TV MSNBC.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below