BC vê economia com menos inflação, mais crescimento e disciplina fiscal

quinta-feira, 8 de novembro de 2012 18:17 BRST
 

RECIFE, 8 Nov (Reuters) - O Banco Central vê um cenário macroeconômico mais favorável nos próximos meses caracterizado por menos inflação e mais crescimento. No aspecto fiscal, o BC indica permanência da disciplina no setor público, apesar de contar com cumprimento da meta de superávit de 139,8 bilhões de reais com ajustes neste ano.

O diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, buscou minimizar a flexibilização fiscal dizendo que o cenário de trabalho da autoridade monetária é de cumprimento da meta cheia de 155,9 bilhões de reais no ano que vem, com continuidade da queda da relação entre a dívida líquida e o Produto Interno Bruto (PIB).

"Trabalhamos com cenário de permanência da disciplina fiscal no setor público", afirmou em entrevista após apresentação do Boletim Regional em Recife. "A meta será cumprida com ajuste em 2012 e sem ajuste em 2013", acrescentou.

Nesta semana, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, reconheceu que o governo não cumprirá a meta cheia de primário e que será necessário descontar investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ele disse, porém, que espera fazer o "mínimo" possível de abatimento.

O governo tem autorização legal para descontar até 40,6 bilhões de reais, mas trabalha com a possibilidade de abatimento de até 25,6 bilhões de reais.

No acumulado até setembro, a economia fiscal do setor público consolidado foi de 75,8 bilhões de reais. Esse resultado indicou a incapacidade do governo em fazer meta cheia neste ano, já que seria necessário economizar 63,9 bilhões de reais no último trimestre do ano.

Para o ano que vem, o diretor do BC afirmou que a retomada do crescimento econômico contribuirá com os esforços do governo para fazer a economia para pagar os juros da dívida sem necessidade de ajustar a meta no ano que vem. "O BC acredita que a recuperação da atividade vai ser elemento importante para a construção do superávit primário", disse.

INFLAÇÃO

Após sucessivas altas seguidas da inflação, Hamilton projetou um cenário mais favorável para a variação de preços no país, a partir da análise do comportamento do atacado.   Continuação...