"Nossa relação se mantém a mesma", diz Dilma sobre Eduardo Campos

quinta-feira, 8 de novembro de 2012 17:57 BRST
 

BRASÍLIA, 8 Nov (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira não haver mudanças na sua relação com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), fortalecido após as eleições municipais e visto como possível presidenciável em 2014.

O PT, partido da presidente, e o PSB rivalizaram em importantes cidades do país. O fortalecimento dos socialistas no pleito municipal alimentou as especulações sobre uma possível candidatura do governador à Presidência na próxima eleição, o que dividiria a base aliada de Dilma.

A presidente recebeu Campos em um jantar no Palácio da Alvorada, residência oficial da presidente, na quarta-feira, um dia após ter se reunido com lideranças do PMDB, do vice-presidente Michel Temer. O encontro de ambos não constou da agenda oficial da presidente.

"Nós não temos diferenças. Acho que a nossa relação sempre se manteve a mesma", disse Dilma a jornalistas após evento no Palácio do Planalto, sobre a relação com Campos.

Perguntada se o PSB precisava de um afago, Dilma respondeu: "Todos precisam de afago. Quem não precisa de afagos?"

PT e PSB se enfrentaram em cidades importantes, como Belo Horizonte, Recife e Fortaleza, cidades onde ambos partidos romperam alianças locais, se enfrentaram nas urnas e os socialistas saíram vitoriosos.

CAMPOS NA VICE?

Depois do evento desta quinta, Dilma recebeu o governador do Ceará, Cid Gomes, também do PSB, em almoço no Alvorada. O socialista tentou desfazer possíveis rusgas com a presidente, e disse defender apoio à reeleição dela em 2014.

Acrescentou, no entanto, que o partido tem interesse em ter o candidato a vice na chapa de Dilma em 2014, com Eduardo Campos, que também é o presidente nacional da legenda   Continuação...