Líder da oposição da Síria tem esperança de receber ajuda militar

sábado, 10 de novembro de 2012 16:25 BRST
 

DOHA, 10 Nov (Reuters) - O novo líder do principal grupo de oposição sírio, no exterior, disse neste sábado que ainda tem esperança de receber mais ajuda militar das potências ocidentais para a revolta contra o governo de Bashar al-Assad.

"Agora vamos pressionar os países árabes e a comunidade internacional para que mudem sua posição. Precisamos de uma nova decisão", disse à Reuters, George Sabra, em Doha, onde figuras da oposição síria se reuniram na semana passada, para tentar formar uma nova liderança incluindo ativistas na própria Síria e no exterior.

Ele falou depois que o Conselho Nacional Sírio (SNC), formado no ano passado enquanto Damasco tentava esmagar o movimento de protesto para a reforma democrática, o elegeu como seu novo líder, na noite de sexta-feira.

"Precisamos de equipamento militar --foguetes contra tanques e aviões para nos proteger... Esperamos conseguir alguma coisa em breve", disse Sabra, de 65 anos, quando lhe perguntaram se o SNC havia tido garantias de que receberá mais apoio militar no futuro próximo.

Sabra, um Cristão, assume o comando de um grupo que vem recebendo fortes críticas dos aliados internacionais de ser ineficaz na luta contra o governo sírio, mas que diz que o Ocidente decepcionou os rebeldes por não oferecer mais ajuda militar.

O SNC diz que foi incapaz de ajudar a derrubar Assad até agora devido à relutância de Washington em participar de um empreendimento militar nos moldes da operação da OTAN, que ajudou a derrubar Muammar Gaddafi, na Líbia, no ano passado.

As vitórias dos rebeldes têm sido limitadas pelo controle aéreo exercido pela força aérea de Assad, durante um combate que devastou as cidades sírias. Mais de 32 mil pessoas já morreram, no que se transformou em uma guerra por procuração, com jogadores internacionais apoiando lados distintos.

O SNC, sob o comando de Sabra, continuou as negociações em Doha no sábado com outras facções sírias, inclusive representantes de grupos rebeldes de dentro da Síria, para a formação de um grupo novo e mais abrangente que espera ganhar reconhecimento internacional como um governo em espera.

PRESSÃO PARA SE JUNTAR AO NOVO GRUPO   Continuação...