10 de Novembro de 2012 / às 20:06 / 5 anos atrás

Moradores no nordeste dos EUA seguem sem energia; ânimos se exaltam

Por Edward Krudy

10 Nov (Reuters) - A frustração pela falta de energia, caos nas viagens e longas filas para abastecer veículos aumentou neste sábado, quando moradores de Long Island, duramente atingidos pela super tempestade Sandy, planejavam um protesto do lado de fora da sede da concessionária de energia local.

Os moradores disseram que voltarão às ruas para um segundo dia de protestos na Long Island Power Authority, em Hickville. Ainda há cerca de 400 mil consumidores sem energia, quase duas semanas depois da tempestade, e mais de 170 mil estão em Long Island.

Enquanto isso, os nova-iorquinos enfrentam seu segundo dia de racionamento de gasolina. Sob o sistema que foi introduzido em Nova Jersey na semana passada, carros com placas ímpares e pares só podem encher o tanque em dias alternados.

Em Far Rockaway na manhã de sábado, mais de 500 pessoas fizeram fila com recipientes de combustível vazios. Na noite de sexta-feira, se espalhou por toda a comunidade litorânea, duramente atingida, a notícia de que um caminhão tanque carregando cerca de 30 mil litros de gasolina deveria chegar por volta das 10 horas, graças a um rico doador anônimo.

Um capitão do Departamento de Polícia de Nova York, que pediu anonimato, disse que o doador misterioso tinha organizado uma forma de enviar a gasolina.

"O homem não quis que seu nome fosse divulgado, mas queria levar gasolina para essas pessoas", disse o capitão. "É uma coisa muito bacana... essas pessoas precisam muito disso."

Mais de um quarto dos postos de gasolina da região metropolitana de Nova York não tinham combustível disponível para venda na sexta-feira, disse a Administração de Informações sobre Energia.

Milhares de pessoas ainda enfrentam dificuldades nas viagens diárias, com grandes multidões esperando por trens, que ainda estão funcionando de forma reduzida, depois que as redes de transportes sofreram danos relevantes.

As autoridades alertaram que, para as comunidades costeiras, onde milhares de casas foram arrastadas, inundadas ou completamente queimadas, a recuperação total levará um longo tempo.

"Essa não será uma viagem curta", disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo, durante uma entrevista coletiva na sexta-feira.

Milhares de pessoas estavam em abrigos temporários e, em Nova Jersey, uma cidade de tendas na beira da pista de corridas de Monmouth Park se transformou em lar para centenas de pessoas. As autoridades na região disseram não ter acesso à habitação alternativa suficiente ou quartos de hotel para todos que foram desalojados.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, que visitou Jersey Shore na sexta-feira, disse que muitos pontos turísticos não estarão completamente reconstruídos até o próximo verão.

"Esse é o nosso Katrina", disse ele, se referindo ao furacão que devastou Nova Orleans em 2005.

VOLTANDO PARA CASA

Ainda assim, os proprietários pretendiam retornar para uma ilha barreira de 30 quilômetros, ao longo da Costa do Atlântico de Nova Jersey no sábado, permitindo que alguns deles vejam pela primeira vez a devastação provocada pela tempestade Sandy.

Long Beach Island, um enclave de luxuosas casas de veraneio, foi atingido diretamente por Sandy, e teve algumas de suas casas completamente invadidas por areia e água do mar, enquanto outras foram completamente destruídas.

A ilha, com cerca de 10 mil habitantes o ano inteiro e talvez uma população dez vezes maior durante o verão, teve seu acesso proibido aos moradores, exceto para rápidas visitas para recuperar pertences.

Sandy atingiu a costa leste no dia 29 de outubro, matando pelo menos 120 pessoas e causando cerca de 50 bilhões de dólares em danos e perdas econômicas. A tempestade destruiu casas ao longo da costa de Nova Jersey e na cidade de New York, deixou milhares de pessoas sem eletricidade e interrompeu grande parte do sistema de transporte público.

Enquanto os proprietários se preparavam para voltar para Long Beach Island no sábado, um site de emergência operado por cidades da ilha alertavam que algumas áreas ainda estão sem esgoto, água e energia elétrica e que toda a ilha está sem gás. Uma comunidade, Holgate, na extremidade sul da ilha, continuará fechada porque ainda é muito perigoso entrar lá.

O prefeito Michael Bloomberg disse que a cidade de Nova York vai trabalhar junto com as autoridades federais para fornecer eletricistas, bombeiros e carpinteiros para ajudar a consertar as casas mais atingidas. Ele disse que espera fazer com que as pessoas possam retornar para suas casas até o final do ano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below