Premiê japonês promete dissolver Parlamento para eleição em dezembro

quarta-feira, 14 de novembro de 2012 10:57 BRST
 

Por Kaori Kaneko e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO, 14 Nov (Reuters) - Sob pressão para cumprir uma promessa feita há meses, o primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, disse nesta quarta-feira que vai dissolver a câmara baixa do Parlamento na sexta-feira para realizar uma eleição antecipada no próximo mês, em que seu partido deve ser derrotado.

Com um acordo para acelerar a aprovação de projetos de leis necessários para financiar 40 por cento dos gastos do orçamento já assegurada e os partidos de oposição prontos para apoiar as reformas em votação --pré-condições de Noda para convocar uma eleição-- o Japão parece pronto para encerrar meses de discussões políticas sobre o momento das eleições.

O mandato dos parlamentares da câmara baixa termina em agosto de 2013, porém a oposição tem usado seu controle da câmara superior, onde podem bloquear a legislação, para forçar Noda a realizar a eleição mais cedo.

Em agosto, Noda prometeu realizar uma votação "em breve" em troca de apoio da oposição para a assinatura de uma lei de sua autoria de aumento de impostos sobre vendas, destinada a reduzir a crescente dívida do Japão.

"Quero realizar uma dissolução (da câmara baixa) no dia 16", disse Noda em resposta a um líder da oposição, acrescentando que a medida é condicional ao apoio da oposição a projetos de lei cruciais.

Se a câmara for dissolvida, a votação deve ser realizada dentro de 40 dias.

O ex-primeiro-ministro Shinzo Abe, líder do principal partido de oposição, o Partido Liberal Democrático (PLD) e, provavelmente, o próximo líder do Japão, sinalizou que seu partido está disposto a cooperar não só no projeto de lei de financiamento, mas também em reformas para reduzir as disparidades entre os distritos eleitorais rurais e urbanos, bem como reduzir o número de assentos na câmara baixa.

Noda é o sexto primeiro-ministro do Japão desde 2006 e o terceiro desde que o Partido Democrático do Japão (PDJ) chegou ao poder em 2009, prometendo mudar a forma como o país é governado, depois de quase mais de meio século de governos consecutivos do PDL.

(Reportagem de Shinichi Saoshiro e Tetsushi Kajimoto)

 
Combinação de fotos mostra premiê japonês, Yoshihiko Noda (D), e principal líder da oposição do Partido Liberal Democrático (PLD), Shinzo Abe, fala durante debate parlamentar em Tóquio. 14/11/2012 REUTERS/Kim Kyung-Hoon