November 14, 2012 / 11:40 AM / 5 years ago

Vice-chairman do Fed apoia juros perto de zero até 2016

3 Min, DE LEITURA

Vice-chairman do FED, Janet Yellen, disse que as taxas de juros podem precisar ficar próximas a zero até o começo de 2016. 13/11/2012Robert Galbraith

Por Braden Reddall

BERKELEY, EUA, 14 Nov (Reuters) - A vice-chairman do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, Janet Yellen, afirmou nesta terça-feira que as taxas de juros de curto prazo do país podem precisar ficar próximas de zero até o começo de 2016, meio ano a mais do que os dealers de Wall Street esperam, para forçar o aumento do emprego.

A segunda maior autoridade do banco central, vista como a primeira candidata para suceder o chairman Ben Bernanke quando seu mandato acabar em janeiro de 2014, também disse que apoia fortemente a adoção de metas de inflação e desemprego para guiar políticas futuras.

Isso permitiria que o Fed evite formar expectativas no mercado financeiro com datas agendadas. Após sua última reunião em outubro, o Fed reiterou que espera manter os juros dos fundos federais overnight próximos de zero até pelo menos meados de 2015.

Yellen, no entanto, argumentou que uma política ótima manterá as taxas de juros estáveis por mais tempo, ao custo de um pouco mais de inflação.

"Esse caminho de política altamente acomodativa gera uma redução mais rápida do desemprego do que na base de referência, embora a inflação supere o objetivo do comitê (de política do Fed) de 2 por cento por vários anos", disse ela a estudantes do Haas School of Business na Universidade da Califórnia, em Berkeley.

Como base de referência, Yellen usou um consenso do começo de setembro de empresas de Wall Street, que mostrou que eles esperam que os juros fiquem próximos de zero apenas pelo primeiro semestre de 2015.

Yellen é vista como um dos membros mais flexíveis do comitê de política do Fed, com sua disposição de apoiar esforços agressivos para impulsionar o crescimento do emprego, mas alguns outros membros são mais conservadores em suas preocupações sobre a inflação.

O presidente do Fed de Dallas, Richard Fisher, questionado sobre a data de 2016, disse que há um limite de quanto mais a política monetária pode fazer para impulsionar o crescimento.

"Há um limite. Nós teremos que discutir como um comitê qual é o limite ... nós simplesmente não podemos continuar pelo caminho de expansão infinita da política monetária", disse ele à televisão CNBC.

Mas Fisher, que não é um membro votante neste ano, também disse que a inflação e as expectativas de inflação continuam sob controle, e pediu que os parlamentares norte-americanos combatam o abismo fiscal do final do ano de potenciais aumentos de impostos e cortes de gastos para tirar as incertezas que ele vê impedindo os empresários a fazer contratações.

O Fed cortou os juros overnight para perto de zero em dezembro de 2008, e comprou aproximadamente 2,3 trilhões de dólares em ativos para diminuir outros custos de empréstimo e impulsionar uma recuperação mais forte.

Embora haja sinais de que a economia está acelerando um pouco, a taxa de desemprego continua alta, em 7,9 por cento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below