América Latina promete apoio à Ibéria, mas alerta sobre austeridade

sábado, 17 de novembro de 2012 18:45 BRST
 

Por Fiona Ortiz

CÁDIZ, Espanha, 17 Nov (Reuters) - A América Latina prometeu, neste sábado, oportunidades de investimentos para empresas espanholas e portuguesas, atingidas pela recessão em seus países, mas alertou seus antigos colonizadores que cortes drásticos servirão apenas para aumentar seu sofrimento.

A situação econômica ibérica dominou os dois dias da reunião de cúpula com líderes da Espanha, de Portugal e da América Latina, na cidade espanhola de Cádiz --um importante porto para os galeões espanhóis cheios de riquezas nos tempos do império.

Numa inversão do destino, Espanha e Portugal agora estão apostando nos mercados Latino Americanos para colocá-los no caminho da recuperação.

A presidente brasileira, Dilma Rousseff, foi a estrela do encontro, devido à esperança que as demandas dos consumidores e projetos de obras públicas no Brasil crie oportunidades para empresas ibéricas, desde o setor de energia até o de varejo.

"Também fomos atingidos pela crise devido à desaceleração nos mercados internacionais, mas estamos ampliando os investimentos públicos e privados em infraestrutura," disse Rousseff a outros líderes presentes na reunião de cúpula, que termina no sábado.

Países latino-americanos estão muito familiarizados com o tipo de crise fiscal que Portugal e Espanha enfrentam agora. Nas últimas décadas eles passaram por ciclos de crescimento e queda, e desvalorizações e programas de austeridade monitorados pelo Fundo Monetário Internacional.

"Não cometam os mesmo erros que cometemos", disse o presidente do Equador, Rafael Correa, alertando que a austeridade pode agravar a recessão.

Nas décadas de 80 e 90, magnatas espanhóis construíram impérios empresariais na América Latina, no que ficou conhecido como a "Reconquista".   Continuação...