23 de Novembro de 2012 / às 14:13 / 5 anos atrás

HRT pode vender 35% de fatia de blocos na Namíbia

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 23 Nov (Reuters) - A petrolífera HRT poderá vender mais de um terço de sua participação em blocos na Namíbia, com o objetivo de obter recursos para desenvolver a campanha exploratória no país africano, disse nesta sexta-feira o presidente-executivo da companhia, Márcio Mello.

Segundo ele, a companhia pretende finalizar algumas negociações para realização de “farm-out” (venda de participação em blocos) na Namíbia até o final deste ano, enquanto outras operações de venda ficarão para 2013.

Ele ressaltou que há tratativas bem adiantadas, mas outras devem se estender até o ano que vem, já que dependem de acertos legais para serem concretizadas.

“Nossa expectativa é que alguns deles serão finalizados até a metade de dezembro e outros podem passar para 2013”, disse ele a jornalistas, após evento com analistas no Rio de Janeiro.

O “farm-out” na Namíbia pode chegar a 35 por cento, de acordo com Mello. “A coisa caminha para fechar nesse ponto”, concluiu.

Na semana passada, um outro executivo da companhia, o presidente-executivo da HRT America, Wagner Peres, que comanda as operações na África, havia dito que esperava terminar as negociações até o final de novembro.

A HRT já anunciou que existem vários interessados em seus ativos no país africano.

Mello não deu detalhes sobre as negociações durante apresentação, mas disse que elas serão determinantes para a campanha exploratória, ou seja, para o número de perfurações na área da companhia em 2013.

Na noite de quinta-feira, a HRT elevou os volumes de recursos potenciais na Namíbia para 7,4 bilhões de barris.

A ação da companhia reduzia alta às 13h35, após subir mais de 5 por cento nesta sexta-feira, depois do anúncio dos novos volumes potenciais na Namíbia.

A companhia possui 12 blocos no país africano, sendo operadora com 100 por cento de participação em dois na bacia de Walvis, e possui mais de 90 por cento de participação em oito blocos na bacia de Orange.

A empresa detém ainda uma participação de 3 por cento, como não operadora, em dois blocos na bacia de Namibe. Os blocos cobrem uma área total de 68.800 quilômetros quadrados.

Uma sonda contratada pela companhia junto à Transocean para a exploração na Namíbia chegará em dezembro e passará por uma certificação na África do Sul antes de seguir para as operações.

Mello estima que na segunda semana de fevereiro a sonda já deve estar operando na Namíbia.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below