November 26, 2012 / 5:54 PM / in 5 years

Oposição quer ouvir envolvidos na operação Porto Seguro no Congresso

3 Min, DE LEITURA

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA, 26 Nov (Reuters) - Os partidos de oposição ao governo se articulam no Congresso para ouvir os servidores federais que estão sendo investigados pela operação Porto Seguro, da Polícia Federal, mesmo após a determinação da presidente Dilma Rousseff para exonerar e afastar os envolvidos.

A operação Porto Seguro foi deflagrada na sexta-feira e investiga o envolvimento de servidores do Executivo e de agências reguladoras num esquema que obtinha pareceres técnicos fraudulentos que eram vendidos para empresas interessadas.

A PF cumpriu mandados de busca e apreensão em órgãos do governo federal e inclusive no escritório da Presidência da República em São Paulo e deteve três pessoas.

Também foram indiciadas 18 pessoas, entre elas a chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Novoa de Noronha, e o advogado-geral adjunto da União, José Weber de Holanda Alves. Os dois foram exonerados de suas funções pela presidente.

O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), pediu, nesta segunda-feira, ao diretor da Polícia Federal em São Paulo, Roberto Troncon Filho, o compartilhamento do inquérito da operação com o Congresso e encaminhou requerimentos de convocação dos envolvidos no esquema para prestar explicações.

Ele também quer que os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Advocacia Geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, sejam convocados para prestar explicações sobre a investigação da PF.

"São setores que movimentam segmentos significativos (da economia), por isso temos que analisar todos os desdobramentos", disse o tucano à Reuters por telefone.

Entre os órgãos que foram alvo das buscas da PF estão o Ministério da Educação, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Agência Nacional de Águas (ANA), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

O envolvimento do diretor de Infraestrutura da Anac, Rubens Carlos Vieira, leva Dias a colocar em suspeição as concessões dos aeroportos de Guarulhos, Brasília e Campinas, em janeiro deste ano.

"À época inclusive se contestou muito as empresas que ganharam, por não serem as mais credenciadas. Temos que saber qual influência isso teve sobre a privatização dos aeroportos", afirmou Dias.

Os requerimentos do senador ainda terão que ser aprovados pelas comissões no Senado para que os investigados sejam ouvidos. Como o governo tem maioria no Congresso, é possível que os pedidos do tucano sejam rejeitados.

Já o DEM ainda estuda qual a melhor estratégia para conseguir mais informações sobre a operação Porto Seguro e seus envolvidos.

A assessoria do partido disse à Reuters que o núcleo jurídico está estudando se é melhor convocar os envolvidos ou seus superiores, já que os investigados podem rejeitar a convocação das comissões.

A tendência, segundo a assessoria, é que até terça-feira seja fechada uma posição sobre a estratégia.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below