Contra EUA e Israel, ONU prepara reconhecimento implícito de Estado Palestino

quinta-feira, 29 de novembro de 2012 11:12 BRST
 

Por Louis Charbonneau

NAÇÕES UNIDAS, 29 Nov (Reuters) - A Assembleia-Geral da ONU deve reconhecer implicitamente na quinta-feira a Palestina como um Estado soberano, apesar das ameaças dos EUA e de Israel de punir a Autoridade Palestina, retendo verbas importantes para o governo da Cisjordânia.

Uma resolução de autoria palestina que altera o status da Autoridade Palestina de "entidade" observadora para "Estado não-membro" -como o Vaticano- deve ser aprovada por ampla margem entre os 193 países da Assembleia-Geral da ONU.

Israel, EUA e alguns outros países pretendem votar contra a resolução, que eles consideram ser uma manobra apenas simbólica e contraproducente dos palestinos.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, obteve o apoio de mais de uma dúzia de países europeus, após um conflito de oito dias, neste mês, entre Israel e militantes islâmicos palestinos na Faixa de Gaza.

O Departamento de Estado norte-americano disse na quarta-feira que o subsecretário Bill Burns e o enviado especial David Hale viajaram a Nova York para uma última tentativa de convencer Abbas a desistir da votação. Os palestinos não deram sinal de que irão recuar.

Os EUA insistem que o eventual reconhecimento do Estado da Palestina só pode acontecer após um processo de negociação com Israel, e não via ONU.

"O caminho para uma solução com dois Estados que cumpra as aspirações do povo palestino passa por Jerusalém e Ramallah, não por Nova York", disse a secretária de Estado Hillary Clinton a jornalistas. "A única forma de chegar a uma solução duradoura é começando negociações diretas."

Victoria Nuland, porta-voz do Departamento de Estado, reiterou os alertas de que a votação na ONU pode levar a uma retirada do apoio econômico norte-americano à Autoridade Palestina. Israel também alertou que poderá fazer deduções significativas das transferências mensais de valores relativos a impostos que Israel cobra em nome da Autoridade Palestina.   Continuação...

 
Palestinos gritam durante manifestação de apoio aos esforços de Mahmoud Abbas para reconhecer a Palestina como um Estado soberano, na cidade de Gaza. Assembleia-Geral da ONU deve reconhecer implicitamente a Palestina como um Estado soberano, apesar das ameaças dos EUA e de Israel de punir a Autoridade Palestina. 29/11/2012 REUTERS/Suhaib Salem