Desemprego na Alemanha sobe pelo 8o mês seguido em novembro

quinta-feira, 29 de novembro de 2012 10:14 BRST
 

Por Sarah Marsh

BERLIM, 29 Nov (Reuters) - O desemprego na Alemanha subiu pelo oitavo mês seguido em novembro, sugerindo que a demanda doméstica pode não conseguir compensar o enfraquecimento das exportações e impulsionar o crescimento na maior economia da Europa.

O aumento foi, no entanto, menor do que o esperado e o desemprego continua perto do menor nível desde a reunificação da Alemanha há mais de duas décadas, constrastando com o doente mercado de trabalho de muitos de seus parceiros.

O desemprego tem aumentado de forma estável, e subiu em 5 mil em novembro, em números ajustados sazonalmente, para 2,939 milhões. O consenso das previsões na pesquisa da Reuters com 33 economistas era de que o desemprego aumentasse em 15 mil.

A taxa de desemprego ficou estável em 6,9 por cento.

"Olhando adiante, no entanto, é questionável se o consumo privado pode realmente assumir o bastão como o principal guia do crescimento da economia alemã", afirmou Carsten Brzeski do ING.

"As expectativas de emprego no setor industrial entraram em território negativo, a maioria das vagas abertas é de empregos temporários e várias empresas reintroduziram esquemas de trabalho de curto prazo."

Muitos especialistas esperavam que esse robusto mercado de trabalho alemão continuasse alimentando o consumo privado e, portanto, guiando o crescimento no país e em países em dificuldade da zona do euro por meio de importações.

Mas sinais de fraqueza estão aumentando. Grandes empresas alemãs como Metro, a quarta maior varejista do mundo, Lufthansa e Deutsche Bank estão cortando milhares de empregos.

A Alemanha se provou amplamente imune aos primeiros dois anos de crise da dívida europeia, mas dados recentes sugeriram que sua resistência está diminuindo, com o crescimento desacelerando para 0,2 por cento no terceiro trimestre.

(Reportagem adicional de Alexandra Hudson)

 
Homem pede dinheiro para pedestres em rua de Berlim, Alemanha. O desemprego na Alemanha subiu pelo oitavo mês seguido em novembro, sugerindo que a demanda doméstica pode não conseguir compensar o enfraquecimento das exportações e impulsionar o crescimento na maior economia da Europa. 09/10/2012 REUTERS/Fabrizio Bensch