Obama eleva pressão sobre republicanos relativa a abismo fiscal

sexta-feira, 30 de novembro de 2012 17:34 BRST
 

Por Mark Felsenthal

WASHINGTON, 30 Nov (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pegou a estrada nesta sexta-feira para elevar a pressão sobre republicanos nas negociações relativas ao abismo fiscal, pedindo que os norte-americanos apoiem seus esforços para aumentar os impostos que incorrem sobre os mais ricos ao mesmo tempo em que as desonerações para a classe média são estendidas.

Em visita de fim de ano a uma fábrica de brinquedos, Obama retratou republicanos como avarentos que perigam empurrar o país rumo ao abismo fiscal em vez de firmar um acordo para evitar as altas de impostos e os cortes de gastos que passam a valer em janeiro na ausência de uma intervenção do Congresso.

"Se o Congresso não fizer nada, todas as famílias nos Estados Unidos verão seus impostos aumentarem automaticamente em 1º de janeiro", disse Obama em uma fábrica no subúrbio da Filadélfia. "É um pouco como o pedaço de carvão que as crianças levadas ganham no Natal. É um Natal de avarentos".

A questão imediata é se as desonerações originadas durante o mandato do ex-presidente George W. Bush devem ser estendidas para além de 31 de dezembro a todos os contribuintes --incluindo os ricos--, como desejam republicanos, ou apenas para contribuintes com renda abaixo de 250 mil dólares, como Obama e seus partidários democratas desejam.

Na fábrica do Rodon Group, Obama disse que norte-americanos devem exigir que republicanos estendam os cortes de impostos para todos menos os ricos, o que abrangeria 98 por cento da população, aliviando temores públicos sobre um aumento de impostos que, segundo economistas, poderia levar o país a uma recessão.

"Nós já concordamos (...) em garantir que os impostos para a classe média não cresçam. Então vamos fazê-lo. Vamos seguir em frente e extinguir o medo para a vasta maioria das famílias norte-americanas, para que elas não tenham com o que se preocupar", disse Obama.

"HÁ UM IMPASSE"

Em Washington, o presidente da Câmara dos Deputados, o republicano John Boehner, disse que aumentar os impostos sobre qualquer um consiste em um enfoque errado, e disse que Obama não foi sério nas negociações relativas ao abismo fiscal.   Continuação...