3 de Dezembro de 2012 / às 11:30 / 5 anos atrás

França e Grã-Bretanha convocam enviados israelenses por assentamentos

Assentamento judaico de Halamish é visto no fundo, enquanto manifestante palestino senta-se sobre rocha durante protesto contra os assentamentos, na Cisjordânia. França e Grã-Bretanha convocaram para reuniões os enviados israelenses nos dois países em resposta à decisão do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, de expandir a construção de assentamentos em territórios ocupados. 30/11/2012 REUTERS/Mohamad Torokman

PARIS/LONDRES, 3 Dez (Reuters) - França e Grã-Bretanha convocaram para reuniões os enviados israelenses nos dois países em resposta à decisão do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, de expandir a construção de assentamentos em territórios ocupados, mas a França negou que iria convocar de volta seu embaixador em Israel.

A Alemanha também reagiu aos planos de expansão dos assentamentos e pediu que Israel recue, mas disse que uma planejada visita do premiê israelense a Berlim esta semana está confirmada.

“O embaixador foi chamado para expressarmos nossa desaprovação”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores francês, Philippe Lalliot. A embaixada israelense também confirmou a reunião.

Uma autoridade do ministério rejeitou as notícias de que a França poderia convocar seu próprio enviado em Jerusalém e disse que o governo francês está analisando outras formas de colocar pressão sobre Netanyahu.

“Há outras formas com que podemos expressar nosso descontentamento”, afirmou a autoridade à Reuters.

O embaixador israelense em Londres, Daniel Taub, também foi convocado para uma reunião. “Qualquer decisão sobre qualquer medida que a Grã-Bretanha possa tomar dependerá do resultado de nossas discussões com o governo israelense e com parceiros internacionais, incluindo os EUA e a UE”, afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores.

França e Grã-Bretanha condenaram os planos de Israel de construir mais assentamentos na região ocupada da Cisjordânia e Jerusalém Oriental, afirmando que a confiança internacional do desejo de Israel em fazer a paz com os palestinos estava em risco.

Netanyahu ignorou a condenação mundial a seus mais recentes planos de assentamentos, que foram anunciados na sexta-feira, apenas algumas horas depois de a maioria dos países da ONU ter votado pela elevação do status diplomático dos palestinos.

Reportagem de John Irish, em Paris, e Tim Castle, em Londres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below