Redução da conta de luz pode ficar aquém do esperado, diz Aneel

terça-feira, 4 de dezembro de 2012 16:52 BRST
 

BRASÍLIA, 4 Dez (Reuters) - O diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Romeu Rufino afirmou que a não adesão da Cesp à renovação das concessões do setor elétrico, aliada à recusa de três usinas da Cemig, pode fazer com que a redução da conta de luz não seja a idealizada pelo governo, de 20 por cento, em média, a partir de 2013.

"Os 20 por cento previam adesão total à renovação. Ou não será alcançado ou o governo terá de usar alternativas para compensar", disse Rufino a jornalistas ao chegar à reunião semanal da Aneel, nesta terça-feira.

O diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, afirmou que não calculou o impacto que a ausência da Cesp pode gerar, mas salientou que "queremos atingir os 20 por cento de qualquer jeito" de queda na conta de luz.

Segundo Hubner, somente a partir janeiro será discutido o que poderá ser feito, eventualmente, para compensar a ausência de ativos na renovação das concessões.

"Vamos discutir com o governo lá para janeiro como é que vamos fazer. Teremos mais recursos? Vamos alocar mais recursos do Tesouro (Nacional)? Ainda temos que fechar as contas", afirmou.

(Por Leonardo Goy)

 
Vista de torres de alta tensão no Estado do Pará, próximo a Marabá. O diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Romeu Rufino afirmou que a não adesão da Cesp à renovação das concessões do setor elétrico, aliada à recusa de três usinas da Cemig, pode fazer com que a redução da conta de luz não seja a idealizada pelo governo, de 20 por cento, em média, a partir de 2013. 30/03/2010 REUTERS/Paulo Santos