Ataques matam funcionária do governo e chefe de polícia no Afeganistão

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012 09:39 BRST
 

JALALABAD/HERAT, Afeganistão, 10 Dez (Reuters) - Homens armados não identificados mataram a tiros uma importante funcionária do governo do Afeganistão nesta segunda-feira, informaram autoridades do leste do país, cinco meses depois de sua antecessora ter sido morta em um ataque a bomba.

A violência contra mulheres parece estar em ascensão no Afeganistão, o que ativistas e alguns parlamentares dizem ser culpa do declínio do interesse nos direitos das mulheres por parte do governo do presidente Hamid Karzai, acusação que ele nega.

Nadia Sediqqi, chefe interina do Departamento de Assuntos das Mulheres na província de Laghman, foi morta enquanto seguia para o trabalho na capital provincial Mehtar Lam, disse um porta-voz do governo local.

"Eles atiraram quando ela estava entrando em um riquixá", afirmou Zwak sobre o ataque, que ocorreu cerca de 150 quilômetros a leste da capital Cabul, acrescentando que ela trabalhava sem guarda-costas -- uma situação comum para funcionários do governo do sexo feminino.

Mulheres afegãs recuperaram direitos básicos de educação, voto e emprego desde que o Taliban foi destituído do poder em 2001, mas os receios de que tais liberdades possam ser retiradas estão aumentando, à medida que o governo afegão busca negociações de paz com o grupo.

Sediqqi havia substituído Hanifa Safi, que foi morta em julho por um carro-bomba, que sua família atribuiu ao Taliban.

O filho de Hanifa, mais tarde, disse à Reuters que as autoridades haviam ignorado repetidos pedidos de proteção, ecoando preocupações maiores de que a segurança de funcionários do governo do sexo feminino não são levadas a sério pelo governo, apesar dos compromissos para melhorar os direitos das mulheres, após 11 anos da guerra comandada pela Otan.

MAIS ATAQUES

Outra bomba matou o chefe de polícia da província de Nimroz, no oeste do Afeganistão, nesta segunda.

O veículo do general Mohammad Musa Rasoli foi atingido quando ele estava a caminho do trabalho, segundo um oficial da polícia.

Em ambos ataques, nenhum grupo assumiu imediatamente a responsabilidade pelos ataques.

 
Policial afegão inspeciona interior do carro que pertencia ao chefe de polícia da província de Nimroz, que foi atingido por uma bomba, na província de Herat, no Afeganistão. 10/12/2012 REUTERS/ Mohammad Shoib