Brasil lança ofensiva para esclarecer caso atípico de vaca louca

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012 21:28 BRST
 

Por Peter Murphy e Osamu Tsukimori

BRASÍLIA/TÓQUIO, 10 Dez (Reuters) - O Brasil está lançando uma ofensiva diplomática com o objetivo de defender sua enorme indústria de carnes e esclarecer detalhes sobre um "caso atípico" do mal da vaca louca que levou a Rússia, seu maior importador, a considerar restrições às importações, após o Japão suspender suas compras.

Uma vaca de 13 anos mantida para fins de procriação morreu de outras causas em 2010 e nunca desenvolveu a doença tecnicamente conhecida como Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). Mas um teste realizado no animal acusou um resultado positivo para o agente causador da doença, uma proteína chamada príon, que pode ocorrer espontaneamente em bovinos mais velhos.

Nesta condição, que foi confirmada na semana passada após testes realizados pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE, na sigla em inglês), os animais são classificados como tendo "EBB atípica", o que pode ou não causar a doença, dizem as autoridades agrícolas brasileiras.

"Todo o governo está mobilizado para fornecer amplas explicações sobre o ocorrido, para que não haja dúvidas sobre a segurança do nosso sistema de saúde animal", disse José Carlos Vaz, secretário-executivo do Ministério da Agricultura.

Enquanto isso, a Rússia disse que está considerando suspender as importações de carne bovina do Brasil, devido a temores relacionados à EEB, afirmou nesta segunda-feira o órgão de fiscalização de saúde animal e vegetal russo, Rosselkhoznadzor.

"Nós estamos considerando", disse Alexei Alekseenko, porta-voz do órgão em uma mensagem de texto, evitando fazer qualquer comentário adicional.

O Brasil, tradicionalmente o maior exportador global de carne bovina, forneceu 43 por cento da carne importada pela Rússia de janeiro a setembro deste ano.

A Rússia é o principal importador de carne bovina do Brasil, tendo comprado 230 mil toneladas de um total de 1,02 milhão de toneladas das exportações brasileiras entre janeiro e outubro, de acordo com os últimos dados publicados pelo Ministério da Agricultura do país.   Continuação...