Pesquisa mundial mostra Apple no topo da preferência dos usuários

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 11:29 BRST
 

PARIS/PALO ALTO, 13 Dez (Reuters) - As ações da Apple podem estar em queda devido às preocupações dos investidores quanto à concorrência crescente que a empresa enfrenta, mas visitas a lojas e entrevistas com compradores de tablets e smartphones nos dez últimos dias sugerem que os consumidores de todo o mundo não compartilham muito dessa visão negativa.

Tablets e outros aparelhos móveis são os eletrônicos mais procurados nestas compras de fim de ano, e a Reuters entrevistou mais de 70 compradores e funcionários de lojas em Sydney, Seattle, Palo Alto, Xangai, Bangalore, Cingapura, Paris, Londres, Cidade do México e Boston para descobrir o que atrai e não atrai compradores.

As lojas da Apple e de eletrônicos estavam muito movimentadas na semana passada, em contraste com as lojas temporárias da Microsoft para a promoção do Windows 8 e do tablet Surface, que recebiam muito menos compradores.

A Samsung Electronics parecia estar realizando um trabalho agressivo de marketing, promovendo a linha Galaxy e outros produtos com cartazes e placas em muitas lojas.

Os consumidores repararam na promoção, mas apenas em Bangalore e Cingapura a maioria das pessoas entrevistadas pela Reuters via a Samsung como marca preferencial.

A Nokia, enquanto isso, parece ter praticamente desaparecido das linhas de frente na guerra de varejo. Os aparelhos Amazon Kindle também não tinham grande presença, embora isso provavelmente reflita o foco da empresa em vendas online.

A Apple e concorrentes estão disputando território nas vitrines, fazendo publicidade e mobilizando exércitos de funcionários para conquistar a multidão de compradores que visitará os shoppings de todo o planeta nas próximas semanas.

A fidelidade à linha de produtos da Apple parece ser a maior vantagem para a companhia californiana, no momento em que consumidores da Europa, Ásia e Estados Unidos pesam os prós e contras de trocar uma marca por outra.

Compradores mencionaram os respectivos acervos de música e vídeo no iTunes e a facilidade de uso como motivos para manter o iPhone e o iPad.   Continuação...

 
Koudai Taguchi morde maçã e mostra seu novo iPad mini diante de loja da Apple, em Tóquio. As ações da Apple podem estar em queda devido às preocupações dos investidores quanto à concorrência crescente que a empresa enfrenta, mas visitas a lojas e entrevistas com compradores de tablets e smartphones nos dez últimos dias sugerem que os consumidores de todo o mundo não compartilham muito dessa visão negativa. 2/11/2012 REUTERS/Yuriko Nakao