Estudantes de Newtown voltam às aulas após massacre em escola

terça-feira, 18 de dezembro de 2012 16:18 BRST
 

Por Peter Rudegeair e Edward Krudy

NEWTOWN, Estados Unidos, 18 Dez (Reuters) - Acompanhados pela polícia e por psicólogos para ajudá-los a enfrentar a tristeza e o medo, estudantes voltaram às aulas na cidade de Newtown, nesta terça-feira, pela primeira vez desde que um jovem atirador matou 26 pessoas em uma escola primária da cidade, uma tragédia que mudou a atitude dos políticos sobre o controle de armas nos Estados Unidos.

A escola Sandy Hook permanecerá fechada. Foi lá que Adam Lanza, de 20 anos, matou uma série de crianças de 6 e 7 anos e seis adultos, na sexta-feira. A polícia continua entrando e saindo da cena do crime, passando por uma linha com 26 árvores de Natal montadas por visitantes e decoradas com enfeites, bichinhos de pelúcia e bexigas das cores da escola (verde e branca), em homenagem às vítimas.

O restante das escolas de Newtown reabriu.

"Estamos prontos para abrir nossas portas e lhes dar tudo que precisam para se sentirem seguros", afirmou Julie Shull, professora de estudos sociais da Reed Intermediate School. "Não poderia estar mais orgulhosa de fazer parte desse grupo incrível de pessoas que dedicam suas vidas às crianças."

Os alunos da Sandy Hook retomarão as aulas mais tarde em uma escola não usada de outra cidade.

O massacre de crianças chocou os norte-americanos, que já se acostumaram aos ataques em massa. Alguns parlamentares dos EUA pediram por restrições mais duras às armas e pressionaram uma empresa de private equity a vender seu investimento em uma fabricante de armas.

O presidente Barack Obama, que pediu por ação para aumentar o controle das armas durante a vigília de orações em Newtown, na noite de domingo, conversou com o vice-presidente Joe Biden e três ministros na segunda-feira, no que uma autoridade da Casa Branca disse ser um esforço para "começar a buscar formas para que o país responda à tragédia de Newtown".

Vários parlamentares democratas pediram por uma nova iniciativa para restringir as armas nos EUA, incluindo a proibição a armas de assalto como a Bushmaster AR-15 usada por Lanza, que carregava centenas de cartuchos de munição em pentes extras e baleou todas as vítimas repetidamente, uma delas 11 vezes. Lanza também matou a mãe a tiros antes de ir de carro até a escola. Depois, ele se matou. Ao final do massacre, o número total de mortos ficou em 28.   Continuação...

 
Estudantes viajam em ônibus em Newtown, Connecticut, EUA. 18/12/2012 REUTERS/Eric Thayer