ANÁLISE-Problemas da Petrobras se aprofundam com aumento da dívida

terça-feira, 18 de dezembro de 2012 19:05 BRST
 

Por Jeb Blount e Leila Coimbra

RIO DE JANEIRO, 18 Dez (Reuters) - A decisão na segunda-feira da agência de risco Moody's de colocar a Petrobras sob perspectiva de um possível rebaixamento da dívida é o mais recente sinal de que os problemas na estatal de petróleo do Brasil estão indo de mal a pior.

É também evidência de que a presidente da empresa, Maria das Graças Foster, nomeada há quase um ano, tem tido pouco sucesso em seu esforço para uma abordagem de maior eficiência e lucratividade em uma empresa dominada politicamente e com um plano financeiro indisciplinado de se tornar uma das quatro maiores produtoras de petróleo em 2020.

Em vez de cortar gastos, Graça Foster aumentou o plano da empresa de investimento nos próximos cinco anos, que já é o maior do mundo, em 5,3 por cento ante o anterior, para 237 milhões dólares. No segundo trimestre, a Petrobras registrou seu primeiro prejuízo em 13 anos.

A resposta de Graça Foster a essa perda foi um plano de controle de custos para cortar cerca de 15 bilhões de reais, sem dar detalhes.

Desde que atingiu o seu pico de alta de 11 meses em fevereiro, depois que Graça Foster assumiu o cargo, as ações da empresa perderam 14 por cento ao longo do ano.

Outros esforços também estão vacilando. Foram feitas algumas ofertas para os campos de petróleo e refinarias fora do Brasil, que a Petrobras quer vender, banqueiros disseram à Reuters no início deste mês. Mas não há muita chance de que com a venda de ativos a empresa conseguirá levantar no curto prazo os 14 bilhões de dólares de que precisa.

"As vendas de ativos e o corte de custos estão lentos e difíceis", disse Oswaldo Telles, analista de petróleo e gás do Banco Espírito Santo, em São Paulo. "Com a situação financeira da Petrobras ficando pior, a única coisa que vai proporcionar certo alívio é um aumento de preços de combustível."

Impedida de elevar os preços dos combustíveis pelo seu acionista controlador, o governo federal, que tenta manter a inflação sob controle, a área de Abastecimento da Petrobras já acumula mais de 8 bilhões de dólares em prejuízos neste ano.   Continuação...