Congresso adia sessão sobre veto de royalties do petróleo para 19h

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012 16:19 BRST
 

BRASÍLIA, 19 Dez (Reuters) - Por falta de acordo e para evitar questionamentos sobre a legalidade da sessão do Congresso que pode analisar veto ao projeto de distribuição de royalties do petróleo, a vice-presidente do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), decidiu adiar a sessão para a 19h desta quarta-feira.

Havia duas sessões convocadas para esta quarta, uma às 12h e outra às 19h, mas a do início da tarde mal chegou a ser aberta e já revelou a tensão que o tema da distribuição dos royalties pagos pela exploração de petróleo provoca entre os representantes dos Estados produtores e dos não-produtores.

Na tentativa de chegar pelo menos a um consenso de como ocorreria o procedimento de votação dos mais de 3 mil vetos na pauta -incluindo o dos royalties- Rose convocou reunião com lideranças do Congresso.

Após quase duas horas de discussões acaloradas -a vice-presidente chegou a referir-se à reunião como um "ringue de boxe"-, Rose anunciou que não retomaria a sessão de meio-dia.

"Não é possível fazer nesse tumulto, nesse confronto, uma sessão que chegue a algum lugar", disse a deputada a jornalistas.

Parlamentares de Estados produtores, contra a derrubada do veto, exigem que sejam discutidos cada um dos itens da pauta, como manda o regimento.

Já representantes dos Estados não-produtores argumentam que não há viabilidade de discutir cada um dos dispositivos vetados e advogam pela votação em bloco dos itens que antecedem o veto dos royalties na pauta.

Rose explicou que, pelas regras do Congresso, seis deputados e quatro senadores devem debater cada um dos itens da pauta.

"Acho que nós ficaríamos aqui até depois do ano-novo, no mínimo", comentou.   Continuação...

 
Um homem caminha ao lado do Congresso Nacional, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Por falta de acordo e para evitar questionamentos sobre a legalidade da sessão do Congresso que pode analisar veto ao projeto de distribuição de royalties do petróleo, a vice-presidente do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES). 6/12/2012 REUTERS/Ueslei Marcelino