21 de Dezembro de 2012 / às 17:17 / em 5 anos

Boehner diz que Congresso, Obama têm de buscar acordo para abismo fiscal

Por Thomas Ferraro e Rachelle Younglai

WASHINGTON, 21 Dez (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, John Boehner, disse nesta sexta-feira que líderes parlamentares e o presidente Barack Obama precisam tentar superar o plano tributário fracassado dos republicanos e trabalhar juntos para evitar o iminente “abismo fiscal” norte-americano.

Boehner, o republicano de posição mais elevada no Congresso, parecia inabalado em uma coletiva de imprensa no Capitólio um dia após o assombroso fracasso de sua opção “plano B”, que levantou dúvidas sobre sua própria liderança e gerou desordem nas discussões.

O fracasso lançou novas incertezas sobre as negociações para evitar aproximadamente 600 bilhões de dólares em altas de impostos e cortes de gastos do governo automáticos que passam a valer em janeiro e podem derrubar a economia norte-americana para uma nova recessão em 2013. Essa combinação é conhecida como “abismo fiscal”.

As ações despencaram na abertura dos mercados no dia após o plano de Boehner ser descartado.

Investidores têm se mostrado cada vez mais otimistas em relação à possibilidade de que se chegue a um acordo antes do fim do ano, mas os acontecimentos da noite de quinta-feira mudaram essa equação. Importantes índices perderam mais de 1 por cento, embora as ações ainda acumulem alta na semana, sugerindo que investidores permanecem esperançosos de que um acordo será elaborado em Washington.

Boehner esperava usar a opção “plano B” para pressionar Obama nas negociações sobre o abismo fiscal. Mas na noite de quinta-feira, ele abruptamente descartou a legislação. Deputados, que voltaram a suas casas para as férias, receberam instruções para estarem ao alcance em 48 horas caso necessário.

“Eles foram de ‘plano B’ para plano ‘até mais’”, disse o consultor de Obama David Axelrod ao canal de televisão MSNBC na manhã desta sexta-feira.

A derrocada do plano de Boehner destaca sua dificuldade para liderar alguns deputados republicanos, que rejeitam terminantemente qualquer acordo que aumente os impostos para qualquer um.

O deputado republicano Tim Helskamp criticou o manejo de Boehner das negociações, afirmando que o líder havia “cedido” a Obama ao abrir as portas para altas tributárias. Huelskamp, um parlamentar dissidente em seu primeiro mandato, disse que não está disposto a fazer concessões em termos de impostos, mesmo se eles forem acompanhados de cortes de gastos buscados pelos conservadores.

Conservadores estão “tão frustrados que o atual líder na Câmara, o presidente da casa, tem discutido aumentos de impostos. É apenas disso que ele está falando”, disse Huelskamp ao MSNBC.

Democratas estão intensificando esforços para angariar alguns votos republicanos a favor de um projeto aprovado no Senado há meses que estenderia os cortes de impostos que deixam de valer no final do ano para todos, exceto os norte-americanos mais ricos.

“O que temos de fazer é descobrir qual é o limite que nos concede esses 218 votos” necessários para conseguir uma maioria na Câmara, disse o deputado republicano Michael Burgess ao CNBC nesta sexta-feira.

O líder republicano no Senado, Mitch McConnell, que tem experiência em ajudar a forjar acordos quando os deputados republicanos estão desorganizados, provavelmente vai assumir um papel maior em tentativas de resgatar a situação junto a outros senadores republicanos, que têm sido mais receptivos a concessões.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below