Israel diz que não tem provas de uso de gás venenoso na Síria

terça-feira, 25 de dezembro de 2012 10:28 BRST
 

JERUSALÉM, 25 Dez (Reuters) - Israel levantou dúvidas nesta terça-feira sobre a precisão de relatórios de ativistas sírios de que armas químicas teriam sido usadas contra rebeldes que lutam para derrubar o presidente Bashar al-Assad.

"Vimos relatórios da oposição. Não é a primeira vez. A oposição tem interesse em atrair intervenção militar internacional", disse o vice-primeiro-ministro Moshe Yaalon na Army Radio.

"Como as coisas estão agora, não temos nenhuma confirmação ou prova de que (armas químicas) já tenham sido usadas, mas nós estamos definitivamente acompanhando os eventos com preocupação", disse ele.

O Observatório Sírio para Direitos Humanos reuniram relatos de ativistas no domingo sobre o que diziam ser ataque de gás envenenado na cidade de Homs. Os relatos são difíceis de serem checados, já que o governo restringe o acesso da imprensa na Síria.

O Observatório, um grupo britânico com uma rede de ativistas ao redor da Síria, disse que esses relatos dizem que seis rebeldes morreram após inalarem fumaça na linha de frente de batalha em Homs. Ele afirma que não poderia confirmar se gás venenoso foi usado e pediu uma investigação.

Síria disse que nunca usou armas químicas contra seus cidadãos.

(Por Jeffrey Heller)