Egito aprova Constituição elaborada por aliados de Mursi

terça-feira, 25 de dezembro de 2012 18:13 BRST
 

Por Yasmine Saleh e Marwa Awad

CAIRO, 25 Dez (Reuters) - O Egito anunciou nesta terça-feira que os eleitores aprovaram por ampla maioria uma Constituição elaborada pelos aliados islamitas do presidente Mohamed Mursi, enquanto o governo impõe restrições para lidar com uma crise econômica agravada por semanas de protestos.

Números finais do Supremo Comitê Eleitoral mostraram que a Constituição foi aprovada por 63,8 por cento dos votos, dando aos islamitas sua terceira vitória estratégica nas urnas desde a queda de Hosni Mubarak, em 2011.

Os oposicionistas liberais, secularistas e cristãos foram às ruas para impedir o que classificaram como uma medida para forçar a aprovação de uma Carta que misturaria perigosamente política e religião.

O presidente argumenta que a nova Constituição oferece proteção suficiente às minorias, e que adotá-la rapidamente é necessário para encerrar dois anos de revoltas e incertezas políticas que prejudicaram a economia.

Horas antes de o resultado ser anunciado, as autoridades impuseram uma nova proibição à entrada ou saída do país com mais de 10 mil dólares em moeda estrangeira, uma medida que aparentemente tem o objetivo de combater a saída de capitais do Egito.

Alguns egípcios já começaram a sacar dinheiro dos bancos, temendo maiores restrições.

A votação pelo "sim" prepara o terreno para a realização de eleições parlamentares em cerca de dois meses, e que serão uma nova batalha eleitoral entre os islamitas e os oponentes liberais e esquerdistas.

O resultado final, anunciado pelo Supremo Comitê Eleitoral, bateu até nos décimos com uma sondagem não oficial feita pela Irmandade Muçulmana, de Mursi.   Continuação...