Irmandade de Mursi pode ter que pagar preço por desvalorização da moeda no Egito

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 10:45 BRST
 

Por Tom Perry

CAIRO, 3 Jan (Reuters) - A vida no Egito está prestes a ficar mais difícil para a população que vai ter que suportar o peso da inflação provocada por uma queda no valor da moeda. À medida que as eleições se aproximam, a Irmandade Muçulmana do presidente Mohamed Mursi pode ter que pagar um preço político.

Depois de uma queda de 3,2 por cento no valor da libra egípcia contra o dólar nesta semana, alguns importadores e comerciantes disseram que estão trabalhando com uma queda ainda maior e que a incerteza será refletida na alta dos preços.

Em um país que importa a maior parte de seus alimentos, inclusive itens básicos como açúcar, chá e óleo de cozinha, isso será muito sentido. Cerca de dois quintos dos egípcios vivem na linha de pobreza com menos de 2 dólares por dia e dependem de artigos subsidiados pelo Estado, como pão, para viver.

Embora os preços dos itens subsidiados permaneçam iguais, o custo de outros bens importados deve subir, aumentando ainda mais a fúria e o ressentimento que nunca está muito longe da superfície, e elevando o potencial para a agitação.

"Seremos obrigados a elevar os preços -não é escolha nossa, não é avidez corporativa- ou fechamos", disse Sherif Abouzeid, gerente-executivo da Global Counter and Trade Offset Co., que importa chá da Índia.

"As pessoas estão desesperadas. Elas mal estão conseguindo sobreviver e mal conseguem alimentar suas famílias. É com esse tipo de cliente que trabalhamos. Agora, mesmo a xícara de chá deles vai ficar mais cara."

A libra manteve a queda na quarta-feira, chegando a 6,39 com relação ao dólar, em comparação a 6,185 na semana passada.

Depois que Hosni Mubarak foi derrubado, o Banco Central usou as reservas externas do Egito para defender a moeda. Até a semana passada, a libra tinha perdido apenas 6 por cento de seu valor nos 23 meses de instabilidade política desde a queda de Mubarak.   Continuação...

 
População do Egito terá que suportar o peso da inflação provocada pela desvalorização da libra egípcia frente ao dólar. 30/12/2012 REUTERS/Asmaa Waguih