Drone dos EUA mata alto comandante do Taliban no Paquistão, dizem fontes

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 09:50 BRST
 

Por Hafiz Wazir

WANA, Paquistão, 3 Jan (Reuters) - Um avião não tripulado norte-americano matou um importante comandante do Taliban, seu vice e outras oito pessoas no noroeste do Paquistão, disseram fontes de inteligência e líderes tribais nesta quinta-feira.

Maulvi Nazir Wazir, também conhecido como mulá Nazir, foi morto na noite de quarta-feira quando mísseis atingiram sua casa de barro no Waziristão Sul, perto da fronteira afegã, disseram fontes da inteligência e moradores.

Ele já tinha sobrevivido a pelo menos um ataque anterior com um avião não tripulado, e foi ferido há algumas semanas em um ataque a bomba supostamente lançado por adversários do Taliban.

Seus principais comandantes e seu vice, Ratta Khan, também morreram no ataque em Angoor Adda, perto da capital provincial de Wana, disseram fontes.

Nazir tinha expulsado militantes estrangeiros de sua área, favorecido o ataque às forças norte-americanas no Afeganistão e tinha assinado pactos de não agressão com o exército paquistanês em 2007 e 2009. Isso o colocou em conflito com outros comandantes do Taliban no Paquistão, mas lhe rendeu uma reputação de "bom" Taliban entre alguns militares paquistaneses.

O sucessor de Nazir foi anunciado diante de milhares de pessoas reunidas para o seu funeral, disse uma testemunha. As pessoas estarão observando de perto para ver se Salahud Din Ayubi continuará as políticas de Nazir.

O Exército tem uma grande base em Wana, onde Nazir e seus homens estavam localizados. Nazir presidia uma paz instável entre os militantes e o Exército ali, mas a trégua foi ameaçada pela aliança do Exército com os Estados Unidos e pelos ataques com aviões não tripulados, disse recentemente um oficial.

"O programa (de aviões não tripulados) está tornando as coisas muito difíceis para nós. Nazir é o único líder militante remanescente disposto a ser um aliado", disse.

"Se ele decidir ficar do lado do (líder do Taliban no Paquistão) Hakimullah, milhares de combatentes irão para a linha de frente contra o exército paquistanês. É do nosso interesse mantê-lo neutro, se não do nosso lado, porque então podemos direcionar nossos recursos contra militantes antiEstado com uma eficiência muito maior".