China vai acabar com campos de trabalho forçado, diz mídia

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013 10:43 BRST
 

PEQUIM, 7 Jan (Reuters) - A China vai acabar com o controverso sistema de campos de trabalho forçado, disse a mídia chinesa citando o chefe da segurança nacional, nesta segunda-feira. A medida seria o primeiro passo rumo às reformas prometidas pelo novo chefe do Partido Comunista, Xi Jinping.

As autoridades chinesas prometeram modificar o sistema de "reeducação através do trabalho", em funcionamento desde 1950, que autoriza a polícia e outras agências governamentais a prenderem pessoas por até quatro anos sem indiciamento.

"O uso do sistema reeducação através do trabalho vai acabar este ano, após aprovação do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo", disse a emissora estatal CCTV em seu microblog oficial, citando o novo chefe do Comitê de Relações Políticas e Legais, Meng Jianzhu.

O Congresso Nacional do Povo é a grande sessão anual do Parlamento realizada em março.

O Ministério da Justiça não respondeu uma pergunta enviada por fax pela Reuters sobre o tema.

O site da influente revista Caixin também noticiou os comentários de Meng, feitos durante uma reunião do comitê. Não havia mais detalhes disponíveis na reportagem.

Meng, que também é o ministro da Segurança Pública, assumiu o órgão responsável pela lei e ordem após o 18o Congresso do Partido Comunista, em novembro.

(Reportagem de Michael Martina e Sally Huang)

 
Ator e ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger posa para fotos na estréia do filme "Mercenários 2" em Hollywood, em agosto. Schwarzenegger, conhecido por sua participação em filmes de ação, acha que a violência exibida nas telas de cinema é mero entretenimento, sem qualquer relação com incidentes trágicos como o recente massacre de 20 crianças em uma escola de Connecticut. 15/08/2012 REUTERS/Mario Anzuoni