Papa pede fim da guerra antes que Síria se torne "campo de ruínas"

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013 09:52 BRST
 

CIDADE DO VATICANO, 7 Jan (Reuters) - O papa Bento 16 pediu nesta segunda-feira que a comunidade internacional acabe com o que ele chamou de interminável carnificina na Síria, antes que o país inteiro se torne um "campo de ruínas".

O papa fez o apelo em termos particularmente fortes durante o discurso anual "O Estado do Mundo" para diplomatas autorizados junto ao Vaticano.

Ele disse que a Síria, onde a ONU estima que mais de 60.000 pessoas foram mortas, foi "despedaçada pela interminável carnificina e é palco de terrível sofrimento para a população civil".

Bento 16 pediu o "fim de um conflito que não conhecerá vitoriosos, mas apenas derrotados, caso continue, deixando para trás nada mais que um campo de ruínas".

O papa pediu que diplomatas de quase 180 países e organizações mundiais pressionem seus governos a fazerem tudo que for possível a fim de enfrentar esta "grave situação humanitária".

"Autoridades civis e políticas, antes de todas as outras, têm a grave responsabilidade de trabalhar pela paz", disse o papa aos enviados reunidos na Sala Regia do Palácio Apostólico do Vaticano.

"Eles são os primeiros a serem chamados para solucionar numerosos conflitos que causam derramamento de sangue em nossa família humana, começando com a região privilegiada por Deus, o Oriente Médio", disse em um discurso feito em francês.

O discurso do papa acontece um dia após o presidente sírio, Bashar al-Assad, ter rejeitado negociações de paz com seus inimigos em um discurso com tom desafiador, que seus opositores descreveram como uma renovada declaração de guerra.

(Reportagem de Philip Pullella)

 
Papa Bento 16 segura cruz pastoral durante missa na Basílica de São Pedro, no Vaticano. 06/01/2013 REUTERS/Max Rossi