Sírios veem continuidade da guerra em discurso de Assad

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013 13:29 BRST
 

Por Oliver Holmes

BEIRUTE, 7 Jan (Reuters) - Sírios disseram nesta segunda-feira que esperavam apenas mais guerra depois de um discurso do presidente Bashar al-Assad, que foi anunciado como um plano de paz, e os combates recomeçaram na capital a poucos quilômetros de onde ele falou.

Horas depois de Assad se dirigir a partidários animados na Casa de Ópera de Damasco, no domingo, confrontos ocorreram a apenas alguns quilômetros de distância, perto da estrada para o aeroporto internacional da cidade, informou o Observatório Sírio para Direitos Humanos.

O grupo ligado à oposição disse que artilharia atingiu o distrito de Arqaba, a cinco quilômetros da Ópera. Combates continuaram durante toda a noite e nesta segunda-feira em torno da capital, bem como nas províncias do norte de Idlib e Aleppo, informou.

Moradores de Damasco relataram que o discurso foi recebido com tiros de celebração em bairros pró-Assad. Mas, mesmo lá, alguns não viram nenhum sinal de que a paz estava mais perto, embora o gabinete estivesse prestes a começar a implantar o plano para "resolver a crise na Síria".

Uma moradora do sul de Damasco partidária de Assad, que deu apenas seu primeiro nome, Aliaa, disse que o discurso foi eloquente, mas vazio. "Parecia mais exultando do que fazendo promessas", explicou.

"Eu concordo com as ideias, mas as palavras são realmente apenas palavras até que ele tome alguma ação. Ele precisa fazer alguma coisa. Mas, mesmo assim, tudo o que ele sugere, agora, é tarde demais, os rebeldes não vão parar."

No distrito de Mezzeh, palco de vários ataques a bomba, um crítico de Assad disse que as pessoas tinham preocupações mais prementes. "Aqui, ninguém se preocupa com esse discurso. Eles se preocupam com comida e eletricidade."

A França se juntou aos Estados Unidos em dizer que o discurso de Assad, o primeiro perante um público desde junho do ano passado, mostrou que ele tinha perdido contato com a realidade, depois de 21 meses de conflito em que a ONU afirma que 60 mil pessoas foram mortas.   Continuação...

 
Presidente sírio, Bashar al-Assad, fala na Sala de Ópera, em Damasco. Sírios disseram que esperavam apenas mais guerra depois de um discurso do presidente Bashar al-Assad, que foi anunciado como um plano de paz, e os combates recomeçaram na capital a poucos quilômetros de onde ele falou. 06/01/2012 REUTERS/Sana