7 de Janeiro de 2013 / às 16:17 / em 5 anos

IGP-DI sobe 0,66% em dezembro e acumula alta de 8,10% em 2012--FGV

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 7 Jan (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 0,66 por cento em dezembro, ante elevação de 0,25 por cento em novembro, encerrando 2012 com avanço acumulado de 8,10 por cento, informou nesta segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado acumulado no ano passado ficou bem acima de 2011, quando o IGP-DI havia fechado com elevação de 5 por cento, mas abaixo do resultado de 2010, de alta de 11,30 por cento.

Para este ano, a expectativa do economista da FGV Salomão Quadros é que o indicador fique abaixo do que foi visto no ano passado, porém sem retornar ao patamar de 5 por cento.

Segundo ele, apesar de janeiro e fevereiro serem meses de pressão no varejo, o patamar de 0,66 por cento visto em dezembro seria um teto e o indicador pode ceder no começo de 2013, devido principalmente ao início da safra de alguns produtos.

“As dúvidas sobre a inflação em 2013 giram sobre do comportamento dos alimentos. Mas o IGP não vai muito além disso. As próximas taxas devem baixar, porém ainda devem ficar acima do ano passado”, disse Quadros.

ATACADO

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI) registrou inflação de 0,74 por cento em dezembro, após subir em novembro de 0,16 por cento. O índice, que calcula as variações de preços de bens agropecuários e industriais nas transações em nível de produtor e responde por 60 por cento do IGP-DI, terminou 2012 com alta acumulada de 9,13 por cento.

Os preços no atacado chegarem a registrar deflação em 2012, mas voltaram a subir no final do ano.

O destaque em dezembro no atacado foram os preços do feijão em grão, que subiram 10,18 por cento, ante 0,59 por cento em novembro.

“O ano termina com alimentação pressionada. A desaceleração durou muito pouco, foi algo breve em novembro. O recuo mais forte ainda não aconteceu, mas há possibilidade de os grãos cederem com a nova safra”, acrescentou Quadros.

Segundo a FGV, em relação à origem dos produtos, houve alta de 1,27 por cento entre os produtos agropecuários em dezembro, ante avanço de 0,48 em novembro. Já os produtos industriais registraram variação positiva de 0,53 por cento, contra 0,04 por cento no mês anterior.

Sobre os estágios de produção, o índice relativo a Bens Finais apresentou variação positiva de 0,88 por cento em dezembro, ante queda de 0,05 por cento no mês anterior. O índice do grupo Bens Intermediários acelerou a alta para 0,59 por cento, ante 0,21 por cento em novembro.

Já em Matérias-Primas Brutas foi registrada alta de 0,78 por cento, ante avanço de 0,34 por cento em novembro.

VAREJO

Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI), registrou alta de 0,66 por cento, ante avanço de 0,45 por cento em novembro, encerrando 2012 com alta de 5,74 por cento. O índice mede a evolução dos preços às famílias com renda entre um e 30 salários mínimos mensais e corresponde a 30 por cento do IGP-DI.

Quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição para este movimento foi do grupo Alimentação, que acelerou a alta para 1,26 por cento em dezembro ante 0,53 por cento no mês anterior.

“A dúvida é como será o comportamento dos serviços em 2013. Tem aumento de transportes, salário mínimo vai subir e espera-se uma melhora na economia. Por outro lado, a alimentação pode suavizar o impacto de serviços”, completou Quadros.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI) desacelerou, subindo 0,16 por cento, após alta de 0,33 por cento em novembro. O índice representa 10 por cento do IGP-DI e terminou o ano passado com avanço acumulado de 7,12 por cento.

O item Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação positiva de 0,19 por cento, ante 0,25 por cento em novembro. O índice que representa o custo da Mão de Obra variou 0,13 por cento, abaixo dos 0,41 por cento em novembro.

O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais, sendo o indexador das dívidas dos Estados com a União. O índice também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e das contas nacionais em geral.

Reportagem adicional de Rodrigo Viga Gaier no Rio de Janeiro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below