David Bowie quebra silêncio de quase 10 anos e lança nova música

terça-feira, 8 de janeiro de 2013 11:43 BRST
 

LONDRES, 8 Jan (Reuters) - O cantor britânico David Bowie lançou sua primeira música nova em quase uma década nesta terça-feira, num lançamento surpresa que coincide com seu aniversário de 66 anos.

"Where Are We Now?", produzida pelo colaborador de longa data Tony Visconti, é um olhar triste para o tempo que ele passou em Berlim na década de 1970, com um vídeo de acompanhamento que traz imagens em preto e branco da cidade, quando ainda era dividida.

A música, disponível no iTunes e gratuitamente no seu recém-lançado site, foi gravada em Nova York e será seguida por seu primeiro álbum de estúdio desde 2003, "The Next Day", que deve chegar às lojas em março.

O selo de Bowie, Columbia Records, disse que a nova música foi um "tesouro" que apareceu "como se do nada", enfatizando o elemento surpresa de um lançamento que encerra anos de especulação entre os fãs sobre se ele iria gravar novamente.

"Lançar sombras e evitar a onda da indústria é muito David Bowie, apesar de seu histórico extraordinário que inclui vendas de álbuns superando 130 milhões, isso sem mencionar suas enormes contribuições na área da arte, moda, estilo, exploração sexual e comentários sociais", afirmou a gravadora.

O álbum será composto por 14 canções, e uma edição de luxo terá três faixas bônus.

A estrela do glam-rock saltou para a fama com "Space Oddity", em 1969, e mais tarde com seu alter ego Ziggy Stardust, antes de se estabelecer como favorito das paradas no início de 1980.

Conhecido por seu desejo constante de se reinventar e experimentar com diferentes gêneros musicais, Bowie é considerado uma das estrelas mais influentes e incomuns da era pop.

(Reportagem de Mike Collett-White)

 
Foto de arquivo do cantor britânico David Bowie durante exibição de "Madama Butterfly" em Nova York. Bowie lançou sua primeira música nova em quase uma década nesta terça-feira, num lançamento surpresa que coincide com seu aniversário de 66 anos. 25/09/2006 REUTERS/Shannon Stapleton