ENTREVISTA-Itaú deve ter índice de eficiência abaixo do previsto em 2013

terça-feira, 8 de janeiro de 2013 16:38 BRST
 

Por Aluísio Alves e Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO, 8 Jan (Reuters) - O Itaú Unibanco seguirá focado em ganhar eficiência em 2013, estratégia que pode incluir a redução de pessoal, embora em velocidade menor que no ano passado, disse à Reuters nesta terça-feira o diretor corporativo de Controladoria e de Relações com Investidores do banco, Rogério Calderón.

Esse esforço, no entanto, não será suficiente para que o maior banco privado da América Latina atinja a meta de eficiência prometida para este ano.

"É muito pouco provável chegar ao índice (de eficiência) de 41 por cento no final de 2013", disse Calderón.

O índice de eficiência mede quanto um banco gasta para gerar receita. Portanto, quanto menor, melhor. Em setembro último, o do Itaú estava em 45,5 por cento, enquanto o índice do Bradesco estava em 41,7 por cento e a do Banco do Brasil, em 46,8 por cento.

Segundo Calderón, o banco seguirá atuando fortemente em 2013 para melhorar o indicador, tanto na redução de despesas quanto na geração de receitas com tarifas. "Nossas despesas devem crescer menos que a inflação neste ano", afirmou o executivo.

O trabalho inclui novos esforços para reduzir duplicidade de funções, embora em velocidade menor do que recentemente. No período de 12 meses até setembro passado, o Itaú eliminou nove mil postos de trabalho.

CAUTELA NO CRÉDITO

Embora publicamente o Itaú esteja procurando mostrar compromisso com a campanha do governo federal para elevar a oferta de crédito para estimular a atividade econômica, na prática a realidade é outra.   Continuação...