Japão aprova pacote de estímulo para impulsionar economia

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 07:45 BRST
 

TÓQUIO, 11 Jan (Reuters) - O Japão aprovou nesta sexta-feira um pacote econômico, que representa o maior estímulo de gastos desde a crise financeira, reflexo da agenda ambiciosa do primeiro-ministro, Shinzo Abe, para incentivar o crescimento econômico e acabar com a deflação.

O governo vai gastar 10,3 trilhões de ienes (116,8 bilhões de dólares) em obras públicas, incentivos a investimentos corporativos e ajuda financeira para pequenas empresas buscando ajudar a economia a sair de uma leve recessão provocada pela queda das exportações no ano passado.

O pacote de estímulo faz parte de um orçamento extra de 13,1 trilhões de ienes para o atual ano fiscal até março a ser aprovado pelo governo japonês na próxima semana. Abe aposta que uma política fiscal mais expansionista e maior afrouxamento monetário pelo banco central podem acabar com anos de crescimento intermitente.

"Vamos construir uma estrutura para fortalecer a cooperação entre o governo e o Banco do Japão (banco central). Nós esperamos que o BC realize afrouxamento monetário agressivo com uma meta clara de preço", disse o governo em comunicado.

"Além disso, vamos continuar observando de perto os mercados cambiais e responder de forma apropriada."

O governo espera que o estímulo eleve o crescimento econômico real em 2 pontos percentuais e crie 600 mil empregos.

A estratégia não está livre de riscos, uma vez que o peso da dívida do Japão já é o pior entre as principais economias. Além disso, os rendimentos dos títulos do governo estão em alta reflexo de investidores rejeitando o excesso de vendas de bônus para financiar os gastos fiscais.

O governo irá vender cerca de 5 trilhões de ienes em títulos a mais do que o originalmente planejado para o atual ano fiscal buscando financiar o estímulo, afirmou uma autoridade do governo.

O pacote econômico é uma combinação de projetos de construção, como reforma de estradas antigas e prédios escolares, subsídios para encorajar empresas a desenvolver novas tecnologias e garantias de empréstimos a pequenas empresas.   Continuação...