Obama é criticado por ministério branco e masculino

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 10:18 BRST
 

Por Ian Simpson

WASHINGTON, 11 Jan (Reuters) - Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, está sendo criticado por alguns membros do seu Partido Democrata por nomear tantos homens brancos para cargos importantes em seu segundo mandato.

Na quinta-feira, ele nomeou Jack Lew como secretário do Tesouro, o quarto homem branco indicado nas últimas semanas para os principais cargos de alto escalão do governo.

Antes, o senador John Kerry já havia sido escolhido para substituir Hillary Clinton no Departamento de Estado. Obama também apontou o ex-senador Chuck Hagel como secretário de Defesa, e John Brennan para o comando da CIA (Agência Central de Inteligência).

Ao mesmo tempo, o presidente perdeu a primeira mulher hispânica a participar do gabinete, a secretária do Trabalho Hilda Solis, que anunciou sua renúncia na quarta-feira. E no mês passado Lisa Jackson, que é negra, decidiu deixar o comando da Agência de Proteção Ambiental.

"É vergonhoso como o inferno", disse o democrata Charles Rangel, um dos mais influentes negros do Congresso, sobre as nomeações de Obama.

A senadora democrata Jeanne Shaheen, de New Hampshire --único Estado a ter uma bancada federal totalmente feminina--, descreveu as nomeações do presidente como "frustrantes".

"Precisamos de um governo que se pareça com os EUA, para podermos tratar das preocupações que escutamos de todo o espectro", disse.

Os republicanos também se somaram às críticas. O ex-pré-candidato presidencial Mike Huckabee acusou Obama de travar uma "guerra às mulheres", mesma expressão que os democratas cunharam para criticar o candidato presidencial republicano Mitt Romney durante a campanha do ano passado.   Continuação...

 
Presidente dos EUA, Barack Obama, e o recém-indicado secretário do Tesouro (C), Jack Lew, aplaudem Timothy Geithner, que deixou o cargo após Obama anunciar a substituição, em Washington. 10/01/2013 REUTERS/Kevin Lamarque