Bernanke faz apelo para que Congresso eleve teto da dívida

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 20:56 BRST
 

Por Jonathan Spicer

ANN ARBOR, Estados Unidos, 14 Jan (Reuters) - O chairman do Federal Reserve (banco central norte-americano), Ben Bernanke, pediu nesta segunda-feira que parlamentares norte-americanos elevem o teto da dívida dos Estados Unidos para evitar um possivelmente desastroso default.

Comparando o Congresso a uma família que argumenta poder melhorar sua classificação de crédito ao decidir não pagar sua conta de cartão de crédito, Bernanke disse que elevar o limite legal de endividamento não é o mesmo que autorizar novos gastos do governo.

É "muito, muito importante que o Congresso tome ações necessárias para elevar o teto da dívida para evitar uma situação em que nosso governo não pague suas contas", disse o chairman do Fed em evento organizado pela Universidade de Michigan.

O Tesouro norte-americano afirma que o país chegou ao limite de seu endividamento em 31 de dezembro e agora está fazendo uso de medidas especiais para permitir que o governo cumpra suas obrigações financeiras.

Líderes dos EUA estenderam desonerações para todas as famílias norte-americanas cuja renda é menor do que 450 mil dólares por ano para evitar uma parrcela das medidas do chamado "abismo fiscal" que, segundo Bernanke, provavelmente levariam a economia para uma nova recessão.

Mas parlamentares ainda precisam navegar o limite da dívida e elaborar um acordo sobre drásticos cortes de gastos automáticos que foram adiados para 1º de março.

"Não saímos do perigo porque estamos nos aproximando de uma série de outros obstáculos fiscais críticos", alertou o chairman do Fed.

O Fed optou no mês passado por continuar comprando 85 bilhões de dólares em Treasuries (títulos de dívida soberana norte-americana) e ativos lastreados em hipotecas por mês até ver uma melhora significativa na perspectiva do mercado de trabalho, em um esforço agressivo para reduzir os custos de financiamento e incentivar contratações.   Continuação...