Libaneses protestam por atraso francês em libertar militante de esquerda

sábado, 19 de janeiro de 2013 14:22 BRST
 

TYRE, Líbano, 19 Jan (Reuters) - Mais de 150 pessoas protestaram do lado de fora da base das forças de paz francesas no sul do Líbano no sábado, pedindo a libertação do militante libanês esquerdista preso pela França por quase 30 dias.

Ninguém parecia ter se ferido, mas uma semana de pequenos protestos relacionados ao país, incluindo vandalismo em um centro cultural francês, poderá levar a tensões entre os dois países.

Protestos foram motivados por uma prorrogação para 28 de janeiro da decisão da corte francesa sobre a libertação de George Abdallah, de 61 anos. Abdallah tinha ganhado a liberdade condicional no início deste mês, na condição de deportação da França.

O primeiro ministro do Líbano criticou o atraso como "um passo injustificado", e exigiu a rápida libertação de Abdallah.

Abdallah foi preso em 1984 e sentenciado à prisão perpétua pelo assassinato de um militar adido militar dos Estados Unidos e de um diplomata israelense.

No sábado, manifestantes incluindo membros da família de Abdallah, levantaram bandeiras libanesas e slogans anti-França do lado de fora de um complexo de forças de paz próximo da cidade de Tyre. Muitos tentaram escalar as paredes da base mas foram impedidos por forças libanesas.

O ministério do Interior do Líbano garantiu à embaixada francesa na sexta-feira que estava tomando as medidas necessárias para proteger os interesses franceses.

(Reportagem de Hussein Saad)