20 de Janeiro de 2013 / às 11:33 / em 5 anos

Obama busca "total entendimento" do que aconteceu na Argélia

Em comunicado, presidente dos Estados Unidos Barack Obama ofereceu assistência ao governo argelino após tomada de planta de gás por combatentes ligados à al Qaeda. 14/01/2013Jason Reed

WASHINGTON, 20 Jan (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ofereceu no sábado toda a assistência que o governo argelino precisar na sequência de um cerco mortal com reféns em uma fábrica de gás no deserto da Argélia e disse que estava à procura de autoridades argelinas para um "entendimento mais completo" do que aconteceu.

"Os pensamentos e orações do povo americano estão com as famílias de todos aqueles que foram mortos e feridos no atentado terrorista na Argélia", disse Obama em uma declaração por escrito, o seu primeiro comentário sobre o acontecido.

"A culpa dessa tragédia está com os terroristas que a colocaram em prática, e os Estados Unidos condena a ação deles", disse. "Nós também continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com todos os nossos parceiros para combater o terrorismo na região."

"Este ataque é mais um lembrete da ameaça representada pela Al Qaeda e outros grupos extremistas violentos no norte da África", disse Obama. Ele parou de fornecer informações sobre qualquer norte-americano feito refém.

Por Matt Spetalnick

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below