Obama inicia 2º mandato com apelo contra "absolutismo"

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 17:33 BRST
 

Por Matt Spetalnick e John Whitesides

WASHINGTON, 21 Jan (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conclamou na segunda-feira os norte-americanos a rejeitarem o "absolutismo" político e o rancor partidário, e usou o início do seu segundo mandato para fazer um inflamado apelo por ação coletiva e para adotar um tom mais assertivo diante dos desafios que ele enfrentará nos próximos quatro anos.

A cerimônia de posse no Capitólio teve toda a pompa tradicional, mas foi bem mais modesta do que na histórica festa de 2009, quando ele se tornou o primeiro negro a ocupar o cargo de presidente dos EUA, personificando os desejos de esperança e mudança do país. Cerca de 700 mil pessoas assistiram ao evento, menos de metade das 1,8 milhão presentes em Washington há quatro anos.

Para o segundo mandato, as expectativas sobre Obama estão atenuadas por causa da persistente fragilidade econômica do país e das divisões políticas em Washington. Apesar disso, Obama fez uma listagem confiante dos seus planos, abrangendo temas como mudança climática, imigração e direitos dos homossexuais.

"Não podemos confundir absolutismo com princípio, substituir a política pelo espetáculo, nem tratar xingamentos como um debate racional", disse Obama, num dia de muito frio, sobre o palanque montado nas escadarias do Congresso, com vista para a avenida National Mall. "Devemos agir, sabendo que as vitórias de hoje serão apenas parciais."

Falando em termos mais específicos do que se previa, Obama prometeu "escolhas difíceis" para reduzir o déficit federal, e propôs uma reforma tributária e do governo.

O democrata chega à sua segunda posse com bons números nas pesquisas e com a oposição republicana na defensiva, depois de um primeiro mandato marcado por realizações como a reforma da saúde pública, o fim da guerra no Iraque e a morte de Osama bin Laden.

Mas ele terá pela frente batalhas a respeito do orçamento, do controle de armas e da imigração. Os republicanos se mostram dispostos a fazer oposição cerrada, e Obama aparentemente ainda não descobriu como convencê-los a negociar.

JURAMENTO REPETIDO   Continuação...

 
Presidente norte-americano Barack Obama discura durante cerimônia de posse em Washington. Obama pediu que o país se concentre na prosperidade da classe média em vez do sucesso de uma elite de poucos durante o discurso de posse de seu segundo mandato, no qual também pediu que os políticos deixem de lado o partidarismo ferrenho para tratar dos urgentes problemas econômicos. 21/01/2013 REUTERS/Jim Bourg