Fumaça da queima de revestimento acústico causou maioria de mortes, diz resgate

domingo, 27 de janeiro de 2013 22:29 BRST
 

Por Ana Flor

SANTA MARIA, 27 Jan (Reuters) - A fumaça resultante da queima do revestimento acústico de uma boate em Santa Maria, no interior do Rio Grande do Sul, foi a principal causa das mais de 230 mortes no incêndio que consumiu o local, frequentado em sua maioria por estudantes universitários, disseram bombeiros que participaram dos trabalhos de resgate no local.

Para entrar no que até o início da madrugada deste domingo era a boate Kiss, uma das mais famosas de Santa Maria, local a que a Reuters teve acesso, é preciso passar por pilhas de sapatos, poças d'água, chumaços de cabelo espalhados no chão e um cheiro quase irrespirável de queimado.

O que eram os bancos de um bar, agora é uma pilha de ferro retorcido, o palco não existe mais e há ainda restos do que foi um revestimento acústico pendurado em partes do teto.

Foi a queima desse revestimento que, segundo o Corpo de Bombeiros, asfixiou mais de 90 por cento das vítimas.

O Batalhão de Bombeiros de Santa Maria recebeu o chamado sobre o incêndio às 3h20 de domingo, segundo o comandante do turno, sargento Robson Muller. O fogo começou por volta das 2h30 da madrugada.

Ao chegar ao local, os 12 bombeiros primeiros bombeiros encontraram pouco fogo e uma nuvem de fumaça que chegou a fazer alguns integrantes da corporação passarem mal.

"O material do revestimento se consumiu sem chamas, mas provocando uma fumaça tóxica", disse o sargento Muller.

Os bombeiros usaram uma técnica de ventilação, ao quebrar uma parede na entrada da boate --o único dano perceptível à primeira vista do lado de fora é justamente parte da parede de madeira externa quebrada.   Continuação...

 
Familiares de vítimas mortas em incêndio em boate Kiss, que deixou mais de 230 mortos em Santa Maria, identificam corpos. REUTERS/Ricardo Moraes