Controladas da Eletrobras recebem R$5,47 bi à vista por concessões

terça-feira, 29 de janeiro de 2013 15:32 BRST
 

SÃO PAULO, 29 Jan (Reuters) - As controladas da Eletrobras Chesf, Furnas, Eletrosul e Eletronorte receberam 5,47 bilhões de reais à vista como parte da indenização pela renovação antecipada de concessões de geração e transmissão de energia, informou na noite de segunda-feira a estatal.

As empresas também receberam no total uma primeira parcela de 441,8 milhões de reais, segundo comunicado.

A Eletrobras é o grupo de energia mais afetado pela renovação onerosa das concessões, parte do plano da presidente Dilma Rousseff para reduzir as tarifas de energia, para aumentar a competitividade da indústria nacional e estimular a economia. No final de outubro, a empresa havia estimado que esperava receber indenização do governo de cerca de 30 bilhões de reais, valor negado pelo governo

Segundo explicação da Eletrobras, Chesf, Eletronorte e Eletrosul optaram pelo recebimento de 50 por cento do valor à vista e o restante parcelado e a controlada Furnas optou "pelo recebimento de grande parte valor da indenização de forma parcelada". A empresa não informou o número de parcelas.

O valor original de indenização a ser recebida é de 14,092 bilhões de reais, segundo o comunicado.

Chesf recebeu 3,49 bilhões de reais à vista e primeira parcela de 163,5 milhões de reais, enquanto Furnas recebeu 66,6 milhões e uma primeira parcela de 186,5 milhões. Já Eletrosul registrou 1,015 bilhão de reais à vista e primeira parcela de 49,7 milhões, enquanto Eletronorte apurou 896,7 milhões e parcela de 42,1 milhões de reais.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

 
Diretor Executivo da Eletrobras, Jose da Costa Carvalho Neto, gesticula durante reunião no Rio de Janeiro, em maio de 2012. As controladas da Eletrobras Chesf, Furnas, Eletrosul e Eletronorte receberam 5,47 bilhões de reais à vista como parte da indenização pela renovação antecipada de concessões de geração e transmissão de energia, informou na noite de segunda-feira a estatal. 25/05/2012 REUTERS/Ana Carolina Fernandes