Economia dos EUA tem contração no 4º tri com estoques menores

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 12:57 BRST
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON, 30 Jan (Reuters) - A economia dos Estados Unidos contraiu inesperadamente no quarto trimestre, sofrendo seu primeiro declínio desde a recessão de 2007/09, à medida que as empresas reduziram o nível de estoques e os gastos do governo caíram.

O Produto Interno Bruto (PIB) teve uma queda de 0,1 por cento, em uma taxa anual, após crescer 3,1 por cento no terceiro trimestre, informou o Departamento do Comércio nesta quarta-feira.

Essa foi a pior performance desde o segundo trimestre de 2009, quando a recessão acabou, e mostrou que a economia entra em 2013 sem força.

A contração, diante de um cenário de aperto da política fiscal, pode provocar temores de uma nova recessão e criar uma urgência entre autoridades para lidar com as questões do orçamento.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que o PIB crescesse a uma taxa de 1,1 por cento. Nenhum deles esperava uma contração.

Uma melhora nos gastos do consumidor e uma recuperação no investimento empresarial, no entanto, limitaram a queda da produção e oferecem alguma esperança para a recuperação, que será fortemente testada conforme Washington aperta o cinto.

O dado foi publicado pouco antes de autoridades do Federal Reserve, o banco central norte-americano, encerrarem uma reunião de dois dias. Os dados provavelmente garantirão munição a eles para manter sua postura de política ultra-acomodativa.

Economistas dizem que será necessário um ritmo de crescimento acima de 3 por cento durante um longo período para reduzir de forma significativa o alto desemprego. E a economia tem enfrentado problemas para ficar acima de um crescimento de 2 por cento.

Para o ano todo de 2012, a economia cresceu 2,2 por cento.

 
Traders trabalham na Bolsa de Ações de Nova York. A economia dos Estados Unidos contraiu inesperadamente no quarto trimestre, sofrendo seu primeiro declínio desde a recessão de 2007/09, à medida que as empresas reduziram o nível de estoques e os gastos do governo caíram. 04/01/2013 REUTERS/Eric Thayer