Em mensagem ao Congresso, Dilma diz que classe política é vilipendiada

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 15:55 BRST
 

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA, 4 Fev (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff considera que a atividade política tem sido "vilipendiada" e dirá em sua mensagem anual ao Congresso, nesta segunda-feira, que sabe os riscos da dissociação "entre técnica e política", reconhecendo o "imprescindível papel" do Parlamento.

O afago da presidente aos congressistas ocorre pouco mais de um mês depois do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do mensalão, esquema de compra de apoio político no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre os condenados, estão o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, e o ex-presidente do PT deputado José Genoino (PT-SP).

A declaração da presidente coincide ainda com a eleição de Renan Calheiros (PMDB-AL) para presidir o Senado, mesmo depois que a Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou uma denúncia ao STF contra o parlamentar. Na Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) também deve vencer a disputa para comandar a Casa, apesar de ser alvo de denúncias na mídia.

"Nesse momento em que a atividade política é tão vilipendiada, faço questão de registrar nesta mensagem o meu sincero reconhecimento ao imprescindível papel do Congresso Nacional", diz um trecho da mensagem que a Reuters teve acesso e que será lida aos congressistas pela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

Na avaliação da presidente, o Congresso demonstrou ser um "parceiro crítico" em 2012, quando aprovou a maioria das propostas do Executivo, mas fez modificações importantes em algumas delas.

A mensagem de 15 páginas faz um balanço da atuação do Executivo no ano passado e deixa claro que o governo seguirá apostando nas desonerações tributárias, nas medidas de estímulo econômico e no investimento público e privado.

"A política de desonerações terá continuidade em 2013, como parte do compromisso com a redução e racionalização da carga tributária e como instrumento, sempre que necessários para estimular a demanda e a produção", diz a mensagem.

Dilma voltará a pedir a ajuda dos congressistas para enfrentar o cenário de crise internacional e fazer o país retomar o crescimento, depois de dois anos de economia fraca.   Continuação...

 
Sede do Congresso Nacional na Esplanada dos Ministérios em Brasília. A presidente Dilma Rousseff considera que a atividade política tem sido "vilipendiada" e dirá em sua mensagem anual ao Congresso, nesta segunda-feira, que sabe os riscos da dissociação "entre técnica e política", reconhecendo o "imprescindível papel" do Parlamento. 6/12/2012 REUTERS/Ueslei Marcelino