Assassinato de político de oposição provoca protestos na Tunísia

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013 11:58 BRST
 

Por Tarek Amara

TÚNIS, 6 Fev (Reuters) - Milhares de manifestantes saíram às ruas de Túnis e na localidade de Sidi Bouzid, epicentro das revoltas que deram origem à Primavera Árabe, para protestar contra o assassinato a tiros de um político de oposição, nesta quarta-feira.

O primeiro-ministro Hamadi Jebali condenou o ataque a tiros contra Shokri Belaid diante de sua casa, em Túnis, qualificando-o como assassinato político e um golpe contra a revolução da "Primavera Árabe". Jebali disse que o assassino ainda não foi identificado.

A tensão vem crescendo entre islamistas e secularistas como Belaid, que era um adversário ferrenho do governo liderado por islamistas moderados, eleito em outubro de 2011.

Assim que se propagou a notícia do assassinato, mais de mil manifestantes se reuniram diante do Ministério do Interior e muitos pediam a destituição do governo. O país passou a ter novos governantes depois da revolta que levou à derrubada do líder Zine al-Abidine Ben Ali, em janeiro de 2011.

Os manifestantes também tomaram as ruas de Sidi Bouzid. Foi nessa cidade que Mohamed Bouazizi, um universitário com pós-graduação, ateou fogo ao corpo em desespero depois que a polícia confiscou seu carrinho de frutas, que operava sem licença. A morte de Bouazizi desencadeou protestos que derrubaram o presidente.

"Mais de 4 mil estão protestando agora, queimando pneus e atirando pedras contra a polícia", afirmou Mehdi Horchani, morador de Sidi Bouzid, à Reuters. "A raiva é muito grande."

O partido islamista líder da coalizão que governa a Turquia disse que não teve qualquer ligação com o assassinato, e culpou pessoas interessadas em tirar do rumo a transição democrática da Tunísia após o levante popular de 2011.

"O Ennahda é completamente inocente no assassinato de Belaid... É possível que o partido governista cometesse esse assassinato quando isso poderia prejudicar os investimentos e o turismo?", disse o presidente do partido, Rached Gannouchi, à Reuters.   Continuação...

 
Corpo de Shokri Belaid, proeminente político de oposição da Tunísia, é levado para ambulância depois de ser atingido por tiro, em Túnis. 06/02/2013 REUTERS/Zoubeir Souissi