Com saída de Bento 16, América Latina pode eleger seu 1o papa

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 17:03 BRST
 

Por Tom Heneghan

PARIS, 11 Fev (Reuters) - Com o anúncio surpreendente do papa Bento 16 de que vai renunciar no final deste mês, pode estar chegando o momento de a Igreja Católica Romana eleger seu primeiro líder de fora da Europa, e poderia ser um latino-americano.

A região já representa 42 por cento da população católica mundial de 1,2 bilhão, o maior bloco único na Igreja, em comparação com 25 por cento na Europa.

Depois dos papas João Paulo e Bento, um polonês e um alemão, o posto no passado reservado para italianos está agora aberto a todos.

Dois altos funcionários do Vaticano recentemente deram sugestões claras sobre possíveis sucessores, indicando que o próximo papa poderia muito bem ser da América Latina.

"Eu conheço muitos bispos e cardeais da América Latina que poderiam assumir a responsabilidade pela Igreja universal", afirmou o arcebispo Gerhard Mueller, chefe da Congregação para a Doutrina da Fé.

O cardeal suíço Kurt Koch, chefe do departamento do Vaticano para a unidade dos cristãos, disse ao jornal Tagesanzeiger, em Zurique, que o futuro da Igreja não estava na Europa.

"Seria bom se houvesse candidatos da África ou América do Sul no próximo conclave", declarou ele, referindo-se à eleição a portas fechadas na Capela Sistina, no Vaticano.

Se realmente for a vez da América Latina, os principais candidatos parecem ser Dom Odilo Scherer, arcebispo da diocese de São Paulo, ou o ítalo-argentino Leonardo Sandri, agora à frente do departamento do Vaticano para as Igrejas Orientais.   Continuação...