Renúncia do papa Bento 16 surpreende Igreja Católica

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 18:47 BRST
 

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO, 11 Fev (Reuters) - O papa Bento 16 surpreendeu o mundo nesta segunda-feira ao anunciar que renunciará como líder da Igreja Católica, afirmando que não tem mais a força física e mental necessária para realizar os deveres de seu ofício e tornando-se o primeiro pontífice em 700 anos a tomar tal decisão.

Líderes religiosos buscaram assegurar a calma e o clima de confiança, mas a decisão pode levar a um dos períodos mais incertos e instáveis da Igreja Católica, que vem sendo atingida por escândalos nos últimos anos.

Muitos papas no passado --incluindo o antecessor de Bento 16, João Paulo 2o-- evitaram a renúncia mesmo quando estavam em condições críticas de saúde, exatamente pelo temor com a divisão e a confusão que poderia resultar da existência de um "ex-papa" e de um novo papa ao mesmo tempo. Isso poderá ser um problema especialmente se o próximo papa for um progressista.

A igreja tem sido atingida durante a liderança de quase oito anos de Bento 16 por uma crise a respeito de abuso sexual de crianças que abalou a igreja, por um discurso que desagradou muçulmanos e por um escândalo envolvendo o vazamento de documentos privados através de seu mordomo pessoal.

Em um anúncio lido por cardeais em latim, o idioma universal da igreja, o papa alemão de 85 anos disse: "Bem ciente da gravidade deste ato, com total liberdade, declaro que renuncio ao ministério de bispo de Roma, sucessor de São Pedro".

"A partir das 17h (horário de Brasília) de 28 de fevereiro de 2013... um conclave para eleger o novo pontífice terá de ser convocado."

PAPA NÃO TEME DIVISÃO

Em entrevista coletiva, o porta-voz chefe do Vatino, padre Federico Lombardi, disse que o papa não teme uma divisão na igreja, com católicos leais ao passado e ao presente em casos de diferenças nos ensinamentos da igreja.   Continuação...