Renúncia do papa pode afetar desempenho eleitoral de Berlusconi

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013 13:38 BRST
 

Por Gavin Jones e Steve Scherer

ROMA, 12 Fev (Reuters) - A renúncia do papa Bento 16 pode prejudicar o desempenho do ex-premiê Silvio Berlusconi na eleição italiana deste mês, segundo alguns analistas e especialistas em pesquisas.

Com uma campanha agressiva, baseada na promessa de menos impostos, Berlusconi vinha se aproximando nas pesquisas do centro-esquerdista Pier Luigi Bersnani, visto como favorito nos últimos meses.

Mas alguns analistas dizem que a renúncia do papa tenderá a dominar o noticiário da TV e dos jornais, quando faltam apenas 12 dias para a eleição, atrapalhando o avanço do político conservador.

"Isso irá colocar a campanha no gelo por um tempo, e essa é uma má notícia para Berlusconi, que ainda precisa ganhar terreno", disse Renato Mannheimer, diretor do instituto de pesquisas Ispo.

As últimas pesquisas publicadas na sexta-feira, prazo limite para a divulgação desses levantamentos antes da votação nos dias 24 e 25 de fevereiro, davam uma vantagem média de 5,7 pontos percentuais para Bersani, abaixo dos 10 por cento registrados antes do início da campanha.

Pelo complicado sistema eleitoral italiano, essa vantagem poderia dar ao Partido Democrático, de Bersani, uma expressiva vantagem na Câmara dos Deputados, mas sem que ele consiga formar maioria no Senado, onde as vagas são distribuídas por critérios regionais.

A ofensiva midiática de Berlusconi nas últimas semanas incluiu vários "anúncios de choque", como a promessa de reembolso de um odiado imposto imobiliário, a extinção de um imposto sobre folhas de pagamentos no caso de novas contratações, e uma anistia para sonegadores.

Na terça-feira, por causa da renúncia papal, a campanha eleitoral saiu da capa dos principais jornais e foi parar lá pela página 15. Nesse cenário, promessas eleitorais bombásticas tendem a ficar diluídas, ao menos nos próximos dias.   Continuação...