ONU diz ter lista de suspeitos de crimes de guerra na Síria

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013 12:00 BRT
 

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA, 18 Fev (Reuters) - Sírios em "posições de liderança" foram identificados como possíveis responsáveis por crimes de guerra, assim como unidades militares acusadas de cometê-los, disseram investigadores da ONU nesta segunda-feira.

A violência é cometida tanto por forças do governo quanto por rebeldes armados, segundo a ONU.

Os crimes da guerra civil síria, iniciada há quase dois anos, incluem assassinatos, torturas e a disseminação do terror entre civis, segundo o novo relatório dos investigadores, que se baseia em 445 entrevistas com vítimas e testemunhas, e abrange um período de seis meses, até meados de janeiro.

A equipe independente, comandada pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, não foi autorizada a entrar na Síria.

O relatório de 131 páginas pede ao Conselho de Segurança da ONU que "aja urgentemente para assegurar a responsabilização" por violações graves, o que possivelmente envolveria a abertura de um processo junto ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

"O TPI é a instituição apropriada para lutar contra a imunidade na Síria. Como uma estrutura estabelecida e amplamente apoiada, poderia imediatamente iniciar investigações contra autores de crimes sérios na Síria", diz o texto.

"Indivíduos também podem arcar com a responsabilidade criminal por perpetuar crimes identificados no atual relatório. Sempre que possível, indivíduos em posições de liderança que possam ser responsáveis foram identificados junto com aqueles que realizaram fisicamente os atos", afirma o texto.

Karen Konig AbuZayd, que participou da equipe, disse à Reuters que entre os autores de crimes pode haver "pessoas que estão na liderança militar, por exemplo". Segundo ela, "é a primeira vez que mencionamos o TPI diretamente".   Continuação...

 
Membro da Comissão de Inquérito da Síria, Carla del Ponte, fala durante coletiva de imprensa na sede da ONU em Genebra. Sírios em "posições de liderança" foram identificados como possíveis responsáveis por crimes de guerra, assim como unidades militares acusadas de cometê-los, disseram investigadores da ONU nesta segunda-feira. 18/02/2013 REUTERS/Denis Balibouse