18 de Fevereiro de 2013 / às 13:52 / 5 anos atrás

Manifestação nos EUA pede que Obama rejeite oleoduto polêmico

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo na avenida National Mall, em Washington, pedindo ao presidente dos EUA, Barack Obama, que rejeite o polêmico projeto do oleoduto Keystone XL e que cumpra a sua recente promessa de agir contra a mudança climática global. 17/02/2013Richard Clement

Por Valerie Volcovici

WASHINGTON, 18 Fev (Reuters) - Milhares de manifestantes se reuniram no domingo na avenida National Mall, em Washington, pedindo ao presidente dos EUA, Barack Obama, que rejeite o polêmico projeto do oleoduto Keystone XL e que cumpra a sua recente promessa de agir contra a mudança climática global.

Organizadores do evento, chamado "Avante pelo Clima", estimaram que 35 mil pessoas de 30 Estados compareceram ao protesto, num dia de muito frio e mau tempo. Esse teria sido o maior protesto sobre o clima na história dos EUA. A polícia disse não ter estimativas sobre a multidão.

Os manifestantes chegaram até os arredores da Casa Branca gritando palavras de ordem contra o oleoduto. Entre as celebridades presentes estavam as atrizes Rosario Dawson e Evangeline Lilly, e o gestor de capitais Tom Steyer, conhecido por seu ativismo ambiental.

Há alguns dias, um grupo bipartidário de senadores fez um novo apelo a Obama para que aprove a construção do oleoduto, uma obra de 5,3 bilhões de dólares, vista por muitos como um fator para a geração de empregos e para a independência energética dos EUA.

Mas o ativista Bil McKibben, um dos organizadores do protesto de domingo, disse que construir o oleoduto, que transportaria petróleo de areias betuminosas do Canadá para refinarias e portos do Texas, seria o equivalente a detonar uma "bomba de carbono", com danos irreparáveis para o clima.

"Há 25 anos o governo basicamente ignora a crise climática. Agora um grande número de pessoas está finalmente exigindo que ele se ponha a trabalhar", disse McKibben, fundador da entidade ambiental 350.org.

O projeto proposto pela empresa TransCanada está parado há quatro anos e meio. Uma nova rota, passando por Nebraska e evitando aquíferos e áreas de ecossistema delicado, foi aprovada no mês passado pelo governo desse Estado.

Uma nova pesquisa da empresa Harris Interactive mostra que 69 por cento dos entrevistadosa nos EUA aprovam a construção do oleoduto, e 17 por cento são contra.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below